quarta-feira, 26 de agosto de 2009

Kléber: um jogador problemático?

Muito se tem falado nas últimas semanas sobre o interesse do FC Porto na contratação de Kléber, avançado de 26 anos que joga actualmente no Cruzeiro. Ainda hoje, a imprensa noticia o envio de um elemento do departamento jurídico da SAD portista ao Brasil para retomar as negociações naquela que deverá constituir a cartada final dos azuis e brancos, o tudo ou nada, na tentativa de trazer o brasileiro para Portugal.
Mesmo tendo já jogado na Europa (mais precisamente no Dínamo de Kiev), Kléber é um jogador pouco conhecido entre nós. No entanto, é muito admirado no Brasil onde é idolatrado pelos adeptos do Cruzeiro e do Palmeiras (a quem estava emprestado pelo clube ucraniano) que não lhe poupam elogios. A Internet está recheada de vídeos que comprovam a qualidade técnica indiscutível do avançado, bem como a raça que deposita em todas as disputas de bola. Não há dúvidas de que, pelo que nos é dado a ver, Kléber demonstra ser um jogador “à Porto” e tem tudo para constituir um valioso reforço para a equipa. Contudo, não há bela sem senão. Kléber tem sido também notado pelo seu mau temperamento dentro e fora do campo. Já foi expulso num jogo por agredir um adversário e até num treino se envolveu em discussões com os colegas que valeram uma repreensão do próprio clube.
Sabemos que Jesualdo Ferreira acredita nas suas capacidades pedagógicas e de liderança. Várias vezes o treinador portista tem feito alusão ao tratamento a que Hulk tem sido sujeito no sentido de aprender a controlar as suas emoções. Talvez por isso, Jesualdo acredita que será capaz de efectuar um trabalho semelhante com Kléber, no sentido de retirar deste jogador o melhor que ele tem para oferecer sem permitir que o seu mau-génio interfira no rendimento individual e colectivo. O problema é que, ao contrário de Hulk que tem ainda muita margem de progressão, a idade de Kléber não deixa grandes expectativas quanto aos resultados do tratamento. Lá diz o povo que “burro velho não aprende línguas” e “pau que nasce torto, tarde ou nunca se indireita”.
Eu próprio afirmei, num dos comentários que escrevi ainda na pré-época, que considerava vantajoso para o FC Porto apostar preferencialmente na contratação de um jogador com características semelhantes às de Hulk de forma a que a equipa pudesse ter uma alternativa ao brasileiro sem necessidade de alterar o seu sistema táctico. Nesse sentido, o interesse no Kléber vem ao encontro da minha análise pois é óbvio que as características deste jogador se assemelham muito mais às de Hulk do que às de Falcao. No entanto, mesmo confiando na sagacidade da SAD para efectuar bons negócios e no talento de Jesualdo para a formação de jogadores, não posso deixar de reconhecer que, neste caso, sinto alguma apreensão. Independentemente das mais-valias futebolísticas que lhe são reconhecidas, não irá o FC Porto arrepender-se de contratar Kléber? Com Farias e Falcao no ataque, valerá mesmo a pena correr este risco, ainda para mais quando as verbas envolvidas no negócio parecem ser pouco interessantes?
Deixo-vos um vídeo sobre uma reportagem realizada quando o jogador ainda jogava no Palmeiras para que nos ajude a reflectir sobre esta questão:

Sem comentários:

Enviar um comentário