quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

Acordo com a Câmara de Lisboa valeu ao Benfica 65 milhões de euros


"O Benfica encaixou 65 milhões de euros à custa do contrato-programa firmado com a Câmara de Lisboa, no âmbito do Euro 2004. Santana Lopes não é arguido, apesar de a PJ ter concluído que município, a que ele presidia, instrumentalizou a EPUL para financiar o Benfica.
Já Carmona Rodrigues, à data dos factos vice-presidente da autarquia, é um dos cinco arguidos constituídos durante a investigação que a PJ acaba de concluir, sob a direcção da unidade especial do Ministério Público criada para investigar o Apito Dourado. Os restantes arguidos são ex-administradores da EPUL - Empresa Pública de Urbanização de Lisboa.
O inquérito centrou-se no contrato-programa assinado, em Julho de 2002, pela Câmara de Lisboa, EPUL, Benfica e Sociedade Benfica Estádio SA. O acordo fixava os moldes da participação da EPUL na construção do novo Estádio da Luz, para o Euro 2004.
Um relatório da Inspecção-Geral de Finanças (IGF), que suportou o trabalho da PJ, apontou défices de transparência ao contrato-programa, referindo que as formas de apoio acordadas e atribuídas ao Benfica "consubstanciam verdadeiras comparticipações financeiras, concedidas por instâncias municipais". "O contrato contrariou os normativos legais vigentes", acrescentou a IGF, por não terem sido quantificados devidamente os encargos das entidades públicas envolvidas, em desrespeito pelos princípios da boa gestão dos dinheiros públicos. A investigação conclui que, ao aprovarem o referido contrato-programa, a Câmara e a Assembleia Municipal de Lisboa "instrumentalizaram a EPUL", fazendo-a assumir encargos directos de 18 milhões de euros na prossecução de fins estranhos ao seu objecto social. Mas, além dos 18 milhões, o Benfica encaixou mais 47, pois o contrato-programa ainda lhe permitiu vender um terreno à EPUL e receber outro da Câmara de Lisboa (ver caixa).
Os 18 milhões referidos decorrem de dois negócios. Num deles, a câmara decidiu que a EPUL construiria 200 fogos, em terrenos seus, no Vale de Santo António, e entregaria um terço dos lucros da sua venda. O Benfica recebeu 9,9 milhões de euros, apesar de a EPUL nunca ter construído as 200 habitações. Segundo o então presidente da EPUL, Sequeira Braga, foi Santana Lopes quem definiu que seriam dados 10 milhões de euros ao Benfica, através de um projecto imobiliário da EPUL.
A outra parcela dos 18 milhões resulta do compromisso da Câmara de pagar, através da EPUL, os ramais de ligações às infra-estruturas de subsolo para o estádio. Isto valeu ao Benfica oito milhões de euros, sendo que 80% das facturas que cobrou à EPUL respeitavam a serviços de consultoria: só 20% tinham a ver com os ramais. De resto, parte das facturas tinha data anterior ao contrato-programa.
A IGF detectou ainda outra irregularidade naqueles oito milhões. Mais de um milhão era IVA, sendo que a operação em causa não estava sujeita a incidência deste imposto, por se tratar da comparticipação financeira, de uma entidade pública (EPUL), na construção de um equipamento desportivo.
Nenhuma irregularidade detectada nas facturas do Benfica foi valorizada, para efeitos de responsabilização criminal dos dirigentes do clube.
Inquirido, como testemunha, Santana Lopes assumiu que as negociações com o Benfica que conduziram à elaboração do contrato-programa foram feitas por si e pelo vice-presidente. Carmona Rodrigues, arguido, disse que o dossiê Benfica era tratado directamente por Santana Lopes. E, de resto, várias testemunhas e arguidos coincidiram na versão de que a execução do contrato-programa foi tratada ao mais alto nível, na EPUL, na Câmara e no Benfica"

http://jn.sapo.pt/PaginaInicial/Policia/Interior.aspx?content_id=148071

 E depois admiram-se que o Benfica, mesmo sem ganhar qualquer competição financeiramente compensadora e sem vender nenhum jogador que lhe permita encaixar uma verba apreciável, consiga gastar dezenas de milhões de euros em jogadores. Não será isto jogo sujo ou concorrência desleal?
Continuem a torcer pelo Benfica. Continuem a apoiar os caciques de Lisboa que vão enchendo os bolsos à custa do dinheiro dos portugueses. Pode ser que abram os olhos quando Portugal já não tiver salvação.

7 comentários:

  1. Já é normal e comum a ala desprezível dos Portistas preocuparem-se com as contas do Benfica.
    O que admira é não se preocuparem com o elevado passivo do FCP, o qual mais bizarro é se atendermos às constantes participações europeias bem remuneradas e os campeonatos ganhos!
    Se calhar o dnheiro anda a ser gasto em actividades de efeito colateral, este ano sem resultados palpáveis. Será?
    E apesar de não haver petróleo no Porto e só haver em Lisboa, o dinheiro para as contratações que se acabaram por fazer, apesar das habituais cenas e aldrabices do PC, deve ter sido extraído do poço que existe debaixo da delegação do FCP em Lisboa, local onde há petróleo.
    Lá está Lisboa a financiar interesses corruptos à custa de todos! Afinal você tinha razão! Neste caso tem! Está explicado o jantar com o António Costa.

    ResponderEliminar
  2. A propósito sabe o que é um calendário?
    Ao nível da secção melhor e pior da semana, ainda não conseguiu ultrapassar a derrota do FCP frente ao Benfica em 2009? Já estmos em 2010 e a semana actual é obviamente outra. Arranje lá outra cena do Benfica, mas actual, da semana, para pôr na secção! Faça e diga alguma coisa digna de se ver!

    ResponderEliminar
  3. "Já é normal e comum a ala desprezível dos Portistas preocuparem-se com as contas do Benfica."

    1) O artigo dá conta de uma investigação da PJ sobre determinados acordos suspeitos entre o Benfica e a Câmara de Lisboa. Portanto, não são os portistas que estão preocupados com esse assunto, mas sim as autoridades. Seria então mais correcto dizer "a ala desprezível da Polícia Judiciária"...

    2) Se se tratasse apenas de meras contas do Benfica, com certeza a PJ não teria tanta preocupação em investigar. É óbvio que há muito dinheiro público envolvido nestas negociatas entre o clube da Luz e a Autarquia, e isso afecta todos os portugueses.

    3) Até dá vontade de rir ver um adepto benfiquista criticar o passivo do FC Porto quando toda a gente sabe que este é muito inferior ao do Benfica. Por aqui se vê que os adeptos encarnados vivem numa utopia, não tendo consciência absolutamente nenhuma da realidade do seu clube.

    4) Toda a gente sabe de onde vem o petróleo no Porto: provém da venda de jogadores fundamentais como Lisandro Lopez, Lucho Gonzalez e Cissokho.
    Tal como acontece com qualquer clube nacional, o FC Porto tem necessidade de vender jogadores para gerar receitas que lhe permitam equilibrar as contas, mesmo sabendo que essas vendas representam um sacrifício desportivo. Já o Benfica, pelo contrário, é o único clube português que se dá ao luxo de não vender jogadores nem ganhar nenhum troféu financeiramente compensador e, mesmo assim, gastar milhões de euros em reforços. Se esse dinheiro não vem de um poço de petróleo, então o Benfica tem uma árvore das patacas plantada no quintal. Ora, como ninguém acredita numa coisa nem outra, pode ser que a PJ resolva este mistério.

    5) Apesar das investigações revelarem a existência de negociatas entre o clube da Luz e a CML, as autoridades preocuparam-se imediatamente em esclarecer que não existe qualquer suspeita sobre os dirigentes do Benfica, o que é verdadeiramente espantoso. Está mais do que visto que a sorte do Benfica está no facto de manter relações promiscuas com o poder político que, como sempre, lhe protege as costas.

    ResponderEliminar
  4. "Faça e diga alguma coisa digna de se ver!"

    O que se passa consigo? Não me diga que não gostou de ver aquelas belas imagens do fora-de-jogo escandaloso do Urreta que nem o juiz-de-linha nem a comunicação social conseguiram ver. Não lhe parece grave que a poluição atmosférica para os lados da Capital esteja a atingir níveis tão elevados que até lhes prejudica a visão?

    ResponderEliminar
  5. Se os Portistas não estivessem preocupados você nem sequer referia o assunto! Mas claro, aí está uma excelente oportunidade de relacionar o Benfica com a policia! Claro que você, e todos, estamos mais habituados a ver a ver o FCP nessa situação, mas pronto, calha a todos!
    Afinal não comentou o facto de o PC ter dito que não havia reforços, mas eles lá foram aparecendo!
    Quando às relações prosmicuas com o poder politico, você já esqueceu as relações previligiadas da CMP e do FCP nas epoca Fernando Gomes e Nuno Cardoso que até deram origem a algumas zangas. Zangam-se as comadres, sabem-se as verdades.
    Agora não há porque o Rui Rio pôs termo ao garnel que o PC tentava instituir na cidade.
    E a propósito não foi a PJ que colocou a noticia na comunicação social nem no seu blogue. A comunicação social foi a tal de Lisboa a favor do Benfica que você tanto contesta, afinal não é tanto do Benfica. Quanto ao seu blogue, dispensa comentários.
    Relativamente à secção da semana, a semana está errada obviamente.
    Quanto ao jogo, pergunto, este ano, até quantas jogadas anteriores aos golos vão os Portistas recorrer para apontar eventuais irregularidades?
    Daqui a pouco vão dizer que se o jogo tivesse começado mais cedo ou mais tarde o Porto já não teria perdido.
    Percam, se for caso disso, com dignidade!

    ResponderEliminar
  6. "Se os Portistas não estivessem preocupados você nem sequer referia o assunto!"

    Tal como eu referi antes, é óbvio que há muito dinheiro público envolvido nestas negociatas entre o clube da Luz e a Autarquia, e isso afecta todos os portugueses, incluindo os portistas.

    "Claro que você, e todos, estamos mais habituados a ver a ver o FCP nessa situação, mas pronto, calha a todos!"

    Enquanto as autoridades de Lisboa persistirem na atitude inaceitável de fazerem vista grossa à podridão que grassa em torno do Benfica, é natural que não estejamos habituados a ver o clube da Luz nesta situação. Mas isso apenas vem reforçar a ideia de que aquilo que se passa é grave, pois de outra forma o Benfica passaria uma vez mais incólume aos olhos da PJ.
    Mas descanse porque, mais uma vez, o Benfica passará impune. Na expectativa de que os "seis milhões" pudessem reagir mal perante a investigação de que o seu clube foi alvo, as autoridades já se apressaram a afirmar que os dirigentes encarnados estão livres de qualquer acusação, o que é perfeitamente espantoso atendendo ao facto das negociatas entre o clube e a CML se terem dado ao mais alto nível de ambas as partes, como várias testemunhas reconheceram.

    "Afinal não comentou o facto de o PC ter dito que não havia reforços, mas eles lá foram aparecendo!"

    Sim, e qual é o espanto disso? O Pinto da Costa faz o jogo dele, qual é o problema? Cometeu algum crime?

    ResponderEliminar
  7. "você já esqueceu as relações privilegiadas da CMP e do FCP nas época Fernando Gomes e Nuno Cardoso que até deram origem a algumas zangas."

    Não, não me esqueci, tal como não me esqueci de todas as críticas de que o meu clube foi alvo por causa disso, críticas essas que levaram ao afastamento entre a CMP e o clube numa tentativa ingénua de demonstrar que, no Porto, sabemos separar o futebol da política. Por esse motivo, acho verdadeiramente espantoso que aqueles que tanto criticaram as alegadas ligações do FC Porto à CMP venham agora, com o maior dos descaramentos, assobiar para o ar perante as notícias que dão conta das negociatas do SLB com a CML. São estas demonstrações de hipocrisia que denunciam a falta de carácter e a má fé daqueles que atacam o FC Porto. Não passam de uma escumalha que vive com o intuito de alimentar guerras contra os Dragões enquanto sugam o país em seu benefício próprio. E há "seis milhões" de portugueses, ingénuos, que suportam e aceitam esta vergonha em nome de um fictício "amor clubístico", permitindo que os caciques de Lisboa vão enchendo os bolsos à custa de todos.

    "Agora não há porque o Rui Rio pôs termo ao garnel que o PC tentava instituir na cidade."

    Pois. Falta saber agora quem é que se responsabiliza por pôr termo à pouca vergonha que se passa em Lisboa. Provavelmente ninguém, uma vez que os interesses do Benfica falam mais alto do que os do próprio país.
    Toda a gente se lembra do que aconteceu quando se descobriu que o SLB tinha andado dois anos sem pagar impostos graças a uma fraude fiscal que ascendeu os 2 milhões de contos. Não só o clube não foi condenado a pagar multa nem juros de mora, como ainda viu o Governo permitir a entrega de acções sem qualquer valor como garantia de pagamento, coisa nunca vista em Portugal. Olhe, por muito menos do que isso, ao FC Porto penhoraram a sanita do árbitro! Fazer o quê? Lisboa tem a faca e o queijo na mão e, enquanto assim for, brinca como quer com o dinheiro dos portugueses!

    "A comunicação social foi a tal de Lisboa a favor do Benfica que você tanto contesta, afinal não é tanto do Benfica."

    Vejam lá que coisa fantástica que a comunicação social de Lisboa fez, publicou uma notícia sobre uma investigação da PJ ao Benfica... Mas já constatou que ninguém mais falou do assunto depois disso? Chama-se a isso "branquear"! Fazer cair no esquecimento! É nisso que a imprensa lisboeta é pródiga!

    "Quanto ao seu blogue, dispensa comentários."

    Vindo de quem vem, vou tomar isso como um elogio.

    "Quanto ao jogo, pergunto, este ano, até quantas jogadas anteriores aos golos vão os Portistas recorrer para apontar eventuais irregularidades?"

    Depende da sua perspectiva daquilo a que se chama "jogada". Se você acha que o fora-de-jogo e o golo ocorrem em duas jogadas independentes só porque entre um acontecimento e o outro ocorreram vários passes em escassos segundos, tudo bem. Para mim, a jogada é a mesma porque, se o fora-de-jogo tivesse sido assinalado, o jogo seria interrompido e a bola ficaria na posse do FC Porto. O Benfica até poderia acabar por marcar, mas nunca naquele lance.

    "Percam, se for caso disso, com dignidade!"

    Eu já reconheci aqui que o Benfica jogou melhor e mereceu ganhar, portanto, não venha fazer das pessoas parvas. Aprendam a ganhar com dignidade. Não tentem disfarçar nem branquear aquilo que as imagens documentam.

    ResponderEliminar