domingo, 31 de janeiro de 2010

Gladiador ou complicador?

Kléber, o avançado brasileiro contratado pelo FC Porto ao Cruzeiro de Belo Horizonte, desembarcou em Pedras Rubras ao início da manhã e já não restam dúvidas de que será jogador do FC Porto. Este jogador, sobre quem escrevi um texto no início da época intitulado "Kléber, um jogador problemático?" já havia sido anteriormente referenciado pelos Dragões para reforçar a equipa, mas a soma avultada que o clube brasileiro exigia impediu que o negócio se concretizasse.
Se atendermos a que a transferência de Kléber para o Porto envolveu a cedência do passe de Farías a título definitivo mais 5,5 milhões de euros, não se pode dizer que o negócio se apresente como brilhante em função daquilo que já vimos Pinto da Costa fazer. No entanto, temos que ter consciência de que se tornava imprescindível encontrar uma solução rápida para substituir Hulk, uma vez que, como já se depreendeu, a Comissão Disciplinar da Liga está decidida a impedir o brasileiro de jogar até final da época em mais um inusitado processo que em nada dignifica o futebol português e que vem levantar fortes suspeitas sobre as suas verdadeiras intenções. E é precisamente nesse sentido que surge o maior receio pois, atendendo ao seu passado algo atribulado (foi muitas vezes punido com cartões e alvo de processos disciplinares no campeonato brasileiro), o "Gladiador" pode tornar-se alvo fácil de uma CD que não hesita em castigar e suspender de forma "exemplar" os jogadores do FC Porto que vão caindo nas armadilhas estendidas pela máfia de Lisboa, enquanto faz vista grossa às agressões perpetradas por jogadores do Benfica que, com total impunidade, vão distribuindo socos e pontapés a seu bel-prazer todas as semanas.
Só o tempo dirá se esta aposta do FC Porto trará bons resultados. Até ver, continuaremos a confiar nas capacidades negociais dos dirigentes portistas e na sagacidade dos nossos olheiros que, no passado, tão bons resultados nos trouxe, mas sem esquecer que os erros cometidos esta época com a saída de peças fundamentais da equipa e a entrada de reforços que demoram a conquistar a nossa confiança não deixa grandes margens de manobra para falhas.

P.S. - Poucas horas depois de eu ter escrito este texto, o FC Porto comunicou à CMVM que o Kléber, afinal, não ficaria no clube. Não sei se o motivo deste volte-face foi a falta de acordo por questões salariais como dizem alguns jornais ou se o jogador falhou nos exames médicos como dizem outros, mas tenho de reconhecer que senti algum alívio com a notícia. Sinceramente, não me estava a agradar absolutamente nada os contornos desta contratação. Apenas lamento que o clube não tenha encontrado uma alternativa credível a Hulk antes do fecho da época de transferências. Veremos se isto não irá custar caro no final da época. 

2 comentários:

  1. Que tal um comentário ao Nacional-Porto?
    Não dá jeito, não é?
    Bolas! Teria honras do pior da semana carago, quanto ao melhor, está correctissimo!

    ResponderEliminar
  2. "Que tal um comentário ao Nacional-Porto?"

    Presumo que se deve estar a referir, não ao jogo em si, mas à arbitragem de Carlos Xistra. De facto, pela quantidade de erros graves cometidos, esse sr. era merecedor de um "Pior da semana". Atente-se à opinião do analista de arbitragem Jorge Coroado:

    É bem assinalada a grande penalidade, por falta de Alex Bruno sobre Álvaro Pereira?

    Jorge Coroado - Diga-se que a grande penalidade foi mal assinalada, mas compreende-se que, no terreno, o árbitro tenha efectuado uma leitura diferente. O cartão amarelo consequente foi igualmente despropositado, mesmo que tivesse existido falta.

    Há penálti numa discussão de bola entre Fucile e Edgar Silva na área do FC Porto?

    Jorge Coroado - Não assinalou o primeiro agarrão de Edgar a Fucile, depois não teve coragem para assinalar a grande penalidade cometida por Fucile.

    Felipe Lopes faz falta passível de grande penalidade sobre Belluschi?

    Jorge Coroado - Felipe Lopes saltou sobre as costas de Belluschi, fazendo falta para grande penalidade que passou ao largo da apreciação do árbitro.

    Foi bem mostrado o cartão amarelo a Nuno Pinto após disputa de bola com Fucile?

    Jorge Coroado - Nuno Pinto, com o pé esquerdo, pontapeou para trás, atingindo Fucile. Impunha-se o cartão vermelho, notando-se manifesta falta de autoridade.

    ResponderEliminar