sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

Falta de seriedade e de vergonha na cara

Tal como eu referi aqui anteriormente num texto intitulado "Atentado à ética jornalística e aos princípios da Democracia", o jornal A Bola publicou, no dia 3 de Janeiro de 2010, um artigo sobre os incidentes ocorridos no túnel da Luz após o jogo SL Benfica-FC Porto no qual afirmou o seguinte:

"Depois de rodearem os restantes stewards, Hulk e Sapunaru envolveram-se com o coordenador e se as investidas de Hulk não deixaram rasto líquido, já o mesmo não pode dizer-se da acção de Sapunaru que, com um soco de esquerda, abriu a testa do funcionário da PROSEGUR. Para acabar esta cena, Helton também chegou a vias de facto, aplicando, à frente de mais de uma dezena de testemunhas, um pontapé no baixo ventre ao coordenador dos stewards."

Hora, na conferência de imprensa dada pela CD da Liga, Ricardo Costa abordou a questão do guarda-redes portista para esclarecer o seguinte:

"Instaurou-se um processo de inquérito e face à inexistência de prova testemunhal ou documental que a provassem foi arquivado. Havia sim uma prova testemunhal que Helton fez parte do grupo de apaziguadores, no qual estavam também o médico do FC Porto Nelson Puga e o director-desportivo do Benfica Rui Costa, entre outros"

Esta afirmação de Ricardo Costa vem comprovar aquilo que as imagens das câmaras de vídeo-vigilância já antes haviam demonstrado, ou seja, não só o Helton não agrediu qualquer segurança, como ainda tentou apaziguar os ânimos, uma situação completamente contrária à que A Bola descreveu. Perante estes dados, seria expectável que este jornal se retratasse e apresentasse um pedido de desculpas, não apenas ao FC Porto e ao seu jogador que foi vítima de calúnia, mas também aos seus leitores por ter prestado um mau serviço público. No entanto, poucos minutos após o término da conferência de imprensa de Ricardo Costa, o jornal publicou um artigo no qual, com total despudor, insiste na mentira descarada de que os factos comprovam a sua versão dos acontecimentos:

"Confirma-se assim aquilo que A BOLA sempre noticiou, ou seja, houve mais jogadores do FC Porto envolvidos nos incidentes para além de Hulk e Sapunaru."

Não é preciso ser muito inteligente para perceber que esta frase denuncia uma tentativa desesperada de dar a volta à questão, uma vez que nunca se pôs em dúvida que tenha havido mais jogadores do FC Porto envolvidos nos incidentes. O problema é que a A Bola acusou frontalmente Helton (e outros jogadores, designadamente Fucile e Rodriguez) de ter agredido os seguranças, o que, como está mais do que comprovado, é mentira!
Se tivéssemos em Portugal um jornalismo digno, responsável, competente e acima de tudo isento, não só os responsáveis d'A Bola assumiriam a falsidade das notícias por si publicadas retratando-se perante o público, como ainda veríamos outros órgãos de comunicação social condenarem este verdadeiro atentado à ética e aos mais básicos princípios da Democracia.  Infelizmente, este jornal parece ser dirigido por gente sem seriedade e sem qualquer pingo de vergonha na cara e, mesmo perante as evidências, continua a insistir na sua versão distorcida dos factos, num autêntico insulto à inteligência dos portugueses.
Todos sabemos perfeitamente qual é a cor clubística deste jornal e qual é o público a quem estas pseudo-notícias são dirigidas. Mas se é assim tão óbvia a distorção que este jornal faz da informação em nome de interesses específicos, atropelando de forma ostensiva os mais básicos princípios da Democracia, não se compreende que as autoridades responsáveis pela defesa e aplicação das leis que regem o jornalismo em Portugal continuem a pactuar com esta vergonha, aceitando este jornal como um órgão de comunicação social legítimo com todos os direitos que isso lhe confere, algo que este pasquim há muito tempo demonstrou não ser merecedor.

4 comentários:

  1. O Post até tinha algum crédito de não fosse publicado por um Portista fanático!

    Como se soubesse o que é seriedade e vergonha!

    Aliás se a tivesse estava calado durante os próximos 50 anos!

    Até as criancinhas sabem que FCP é sinonimo de mafia, corrupção e crime!

    ResponderEliminar
  2. "O Post até tinha algum crédito de não fosse publicado por um Portista fanático!"

    O post tem crédito porque é baseado em factos e em análises objectivas! O verdadeiro fanático é aquele que julga com base em ideias pré-concebidas em vez de ler, aprender e pensar com a sua própria cabeça!

    "Até as criancinhas sabem que FCP é sinonimo de mafia, corrupção e crime!"

    Só as criancinhas que sofrem a lavagem cerebral que os patetas dos papás lhes dão para os impedir de escolherem o seu clube de livre arbítrio. As outras, aquelas que decidem por sua livre vontade, escolhem o FC Porto como clube do seu coração porque não têm a cabeça cheia de ideias pré-concebidas nem se deixam manipular pela inveja e frustração dos medíocres que não suportam o sucesso alheio.

    ResponderEliminar
  3. Quem não pensa como pensa como você tem ideias preconcebidas! Você ... não claro!

    Quem discorda de si não pensa pela própria cabeça! Você ... não claro!

    Todos os males do Porto e do FCP são culpa do Benfica e de Lisboa! Você pensa pela sua cabeça ... claro! Mas se pensa assim é ... enfim!

    Tadinho do FCP e dos Portuenses como você! Os outros merecem-me todo o respeito e consideração, até porque convivo com eles diariamente, percebeste ...!

    ResponderEliminar
  4. "Todos os males do Porto e do FCP são culpa do Benfica e de Lisboa!"

    Se você não tivesse a cabeça recheada de ideias pré-concebidas, não faria afirmações desprovidas de nexo como esta. Pelo contrário, procuraria ler e compreender a minha mensagem.
    O Benfica não passa de um simples clube, uma instituição desportiva igual a muitas outras existentes em Portugal mas que se destaca pelo seu historial desportivo, merecendo respeito e consideração. Aquilo que eu considero nefasto para o país é o benfiquismo, essa filosofia de vida medíocre que nada tem a ver com futebol, que procura levar as pessoas a agir de forma passiva e subserviente aos interesses mesquinhos da Capital, aglutinando-as em torno de falsos valores.
    Não tenha pena dos portuenses. Tenha pena de si próprio, que não passa de uma vítima dessa máquina propagandista lisboeta que o induziu a ingressar num enorme rebanho de carneiros que, cegos por uma falsa sensação de grandiosidade, assistem ao desmoronar do país. Portugal não precisa de ilusões nem de falsas promessas, e isso é tudo o que o benfiquismo tem para lhe dar. Portugal precisa é de gente capaz de trabalhar e lutar pelo desenvolvimento daquilo que é verdadeiramente seu, porque é das partes que se faz o todo.

    ResponderEliminar