terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

Aleluia!

A Comissão Disciplinar da Liga decidiu, finalmente, instaurar um processo sumaríssimo a um jogador benfiquista, no caso Javi García, e avança com uma proposta de dois jogos de suspensão. Este processo vem na sequência de um lance ocorrido no jogo SL Benfica-V. Guimarães a contar para a Liga Portuguesa. Ainda antes do intervalo e numa altura em que as equipas se encontravam empatadas a um golo, o Javi Garcia agrediu Valdomiro com uma patada. O lance ocorreu dentro da área do Benfica e com o jogo a decorrer, pelo que se justificava a amostragem do cartão vermelho  ao jogador encarnado e a marcação de um penalty contra os da casa, mas tal não aconteceu visto que o árbitro nada assinalou.
As imagens demonstram claramente a violência e a intencionalidade da agressão de Javi Garcia:
 
Recorde-se que esta não é a primeira vez que Javi Garcia protagoniza cenas de violência na presente Liga. No jogo com o Nacional da Madeira, o jogador encarnado agrediu Amuneke com uma cotovelada na cara quando o jogo se encontrava já parado devido a uma outra agressão de Luisão a um adversário que o árbitro, Olegário Benquerença, puniu apenas com um cartão amarelo.
Também no jogo com o Braga, Javi Garcia atingiu Meyong na cabeça propositadamente com o pé, quando o jogador arsenalista se encontrava no chão após ter sofrido uma falta.
 
A suspensão aplicada a Javi Garcia peca, não apenas por ser tardia, mas por ser escassa, dado o número de agressões que o jogador benfiquista protagonizou anteriormente e que passaram totalmente em claro. No entanto, este processo sumaríssimo aparece nesta altura de uma forma imprevista e estranha. De facto, já ninguém acreditava que a CD iria aplicar algum processo deste tipo no decorrer da presente época, o que deixa no ar a ideia de que esta decisão não será alheia ao facto de a CD ter divulgado simultaneamente os castigos aplicados na sequência dos incidentes ocorridos no túnel do Estádio de Braga após o jogo com o Benfica, castigos esses que, curiosamente, só aconteceram para jogadores do SC Braga. Assim vai a Justiça desportiva no nosso país e assim continuará enquanto for presidida por um indivíduo chamado Ricardo Costa.

1 comentário:

  1. Castigo ao Javi Garcia: merecido, justo sem qualquer tipo de dúvida!
    Quanto ao Porto e Braga, é bom que as jogadores se apercebam que a justiça deve ser ministrada por quem de direito nos locais adequados. E não há provocação que justifique violência. Ficamos com a velha questão de perder a razão. E os jogadores do Porto e do Braga perderam-na.
    O caso do Porto teria sido evitado se os jogadores se limitassem a sair do campo e ficar nos balneários como lhes competia, e alguns responsáveis do clube quiseram que fizessem. Claro que não advogo provocações as quais condeno, mas afinal o inicio foi o pontapé na manga e depois a presença dos jogadores onde já não deviam estar para confrontar o árbitro. Outra coisa que convém não esquecer é que justamente ou injustamente as decisões dos árbitros são soberanas. Palavras sábias do Presidentes da FIFA relativamente ao mundial: quem não quiser estar sujeito aos erros dos árbitros, não participe! No caso do Braga é visivel para quem quer ver que o Cardoso foi agredido pelos actuais castigados sem ter esboçado qualquer gesto de agressão. Isto sem discutir a validade das imagens. Aliás é engraçado que quem mais se queixa da justiça é quem mais recorre aos subterfugios que a mesma lhe proporciona para fugir às punições devidas pelos actos que cometeram. E nisso o PC é exemplar, por muitos anos muitos se questionarão como é possível depois do que se ouviu esse individuo ser considerado inocente!
    Claro que o Benfica e Lisboa é que são os responsáveis, ainda há quem ache que tem o direito de ministrar a justiça pelas suas mãos, não obedecer a regras e fazer o que quer, só porque as leis são feitas em Lisboa por pessoas de todo o país.

    ResponderEliminar