sexta-feira, 23 de abril de 2010

Uma injecção de 10 milhões

No início do corrente ano, foi tornada pública uma investigação levada a cabo pela PJ sobre determinados "negócios" realizados entre o SL Benfica e a Câmara Municipal de Lisboa que permitiram ao clube da Luz encaixar nada mais nada menos que 65 milhões de euros sem mexer uma palha. Entre esses "negócios" inclui-se a aquisição ao Benfica de terrenos por quantias astronómicas, terrenos esses que haviam sido anteriormente cedidos ao clube pela própria CML para a construção de infra-estruturas desportivas que nunca chegaram a ser realizadas. Apesar da PJ ter concluído que o Município, na altura presidido por Santana Lopes, instrumentalizou a EPUL - Empresa Pública de Urbanização de Lisboa - para financiar o Benfica, o autarca não foi processado, o mesmo não acontecendo com Carmona Rodrigues, vice-presidente da CML, que foi constituído arguido.
Ficamos agora a saber que a EPUL fechou as contas de 2009 em situação de falência técnica pelo terceiro ano consecutivo, tendo necessitado de uma injecção de 10 milhões de euros para garantir o equilíbrio financeiro. Segundo o jornal Público, na auditoria externa efectuada à EPUL pela consultora PricewaterhouseCoopers apuraram-se algumas transacções cujos efeitos económico-financeiros nocivos para a empresa rondam os 61 milhões, conforme revela o relatório e contas do ano passado.
Como é possível que uma empresa pública que se encontra em falência técnica pelo terceiro ano consecutivo se dê ao luxo de desbaratar milhões de euros na compra de terrenos que já pertenciam anteriormente à CML? Como é possível que as autoridades não percebam que algo de muito podre se passa quando a empresa compra terrenos por somas astronómicas e não constrói um único dos 151 apartamentos a que se tinha proposto? Não é difícil de adivinhar que, quando o Benfica precisar de dinheiro para reforçar novamente o plantel, os mesmos terrenos que foram comprados para a construção dos tais apartamentos (que nunca foram construídos) irão ser novamente cedidos ao clube para a construção de novos equipamentos desportivos (que também nunca serão construídos), para depois serem novamente comprados pela EPUL por somas avultadas, e assim por diante, num processo fraudulento infindável que vai acontecendo à descarada graças à passividade das autoridades de Lisboa e à subserviência cúmplice da nação benfiquista que, inebriada pela conquista do campeonato dos túneis, vai aplaudindo esta vergonha. E depois somos todos nós a pagar as injecções!

4 comentários:

  1. Meu caro, estamos em Portugal e ao clube do regime tudo é permitido...

    Um abraço

    ResponderEliminar
  2. Paga e não bufa! :)
    A ser verdade o que dizes, ficas a saber como nos sentimos nós, benfiquistas portuenses, com a marosca (mais uma) do Pinto da Costa e do Nuno Cardoso!
    Fazes bem em criticar, mas devias olhar para o espelho com mais honestidade. Desculpa que te diga, mas tu és daqueles que só tem olhos para o que lhe interessa. Enfim...

    ResponderEliminar
  3. dragao vila pouca, essa história do clube do regime já mete nojo. quem foi verdadeiramente o clube do regime sempre foi o sporting. E falas, falas, mas já te esqueces das brutais entradas do bruno alves, das chapadas que o cardozo do jogador do braga, e este, tão cobardemente, fugiu logo a seguir.
    Esqueces-te das histórias das viagens ao brasil, do facto do reinaldo teles ser dono de grande parte das casas de protistuição no norte, e com isso, fazer valer algumas influências junto dos árbitros e sabe-se lá mais o quê...
    Vocês, portistas, têm-nos um ódio de morte, muito derivado aos discursos caquéticos do vosso presidente, e que em nada contribuem para a pacificação do futebol neste país.
    Sempre fui a favor de uma rivalidade salutar entre todos.
    cumprimentos desportistas

    p.s: se quiseres responder, sugiro que envies um mais para night.spiritchaser@gmail.com

    ResponderEliminar
  4. "essa história do clube do regime já mete nojo"

    Se procurar na Internet, encontrará muitos sites onde inúmeras pessoas insistem na ideia de que o Holocausto Nazi e a perseguição aos judeus não passa de uma fraude criada pelos países aliados para denegrir a Alemanha. Cada um acredita naquilo que quer mas, por favor, não venha para o meu blogue pretender fazer das pessoas parvas. Há muitos blogues benfiquistas onde os participantes concordarão com as suas opiniões.

    ResponderEliminar