segunda-feira, 3 de maio de 2010

Triste país este...

Na época passada, o FC Porto foi punido pela CD com a perda de seis pontos na sequência de um processo patético que, baseando-se unicamente no testemunho de uma pessoa que se encontra agora em vias de ser condenada por perjúrio (o que, só por si, diz tudo sobre a sua credibilidade), contrariou todas as decisões dos tribunais civis. Apesar disso, o clube azul e branco venceu o campeonato destacadamente, o que não impediu que muita gente neste país se tenha dado ao absurdo de considerar que o FC Porto não foi um justo vencedor. Nessa perspectiva, o que haveria a dizer agora do Benfica que, não obstante ter beneficiado de todo um conjunto de situações anómalas que foram condicionando e interferindo com o normal desenrolar da competição, ferindo de morte a sua verdade desportiva, se vê na contingência de garantir a conquista do título apenas na última jornada? O que teria acontecido se o Hulk, o Sapunaru e o Vandinho não tivessem sido injustamente suspensos em virtude dos incidentes ocorridos nos túneis, nos quais o SLB se viu constantemente envolvido mas que, inexplicavelmente, foi a única equipa que conseguiu sair incólume aos olhos da CD?
Aconteça o que acontecer, o Benfica será sempre um justo vencedor apenas porque Lisboa assim quer fazer parecer, da mesma forma que o FC Porto (ou qualquer outra equipa da província) nunca será aceite como um justo vencedor simplesmente porque Lisboa nunca o admitirá. É este o espelho de um país atrasado, sub-desenvolvido e subjugado pelos interesses mesquinhos da capital.

4 comentários:

  1. Quero apenas acrescentar um aspecto

    " se o Hulk, o Sapunaru e o Vandinho não tivessem sido injustamente suspensos"

    O que pensamos como desPORTISTAS não é que não deviam ser suspensos, é que deveriam ser suspensos numa medida justa e que fosse proporcional às infracções que cometeram. Mas não, temos que ser sempre as cobaias das medidas de punição. Já assim tinha sido com os sumarissímos consecutivos a Benni McCarthy e companhia, com a retirada dos seis pontos e agora com a vergonha dos tuneis.
    Querem ser campeões à força toda

    ResponderEliminar
  2. "É este o espelho de um país atrasado, sub-desenvolvido e subjugado pelos interesses mesquinhos da capital."

    O soberbo exemplo da frase que copiaste, sabe-se lá de onde, se calhar da imprensa "corrupta" da capital, ÉS TU!!

    Faz um favor a Portugal e quiçá ao mundo: desaparece! E leva o inimigo publico numero um contigo. Muito do que se passou ontem a ele se deve. Tudo já ultrapassou a simples rivalidade clubistica e a saudavel competição.
    O teu lema diz tudo, O FCP quer é ganhar, como, não interessa, e o resto é conversa.

    Mas não a pena entrarem em guerra com Lisboa, porque a irão sempre perder, bazaroucos!
    Ainda tens muita sorte em poderes ir fazendo barulho.

    ResponderEliminar
  3. "Tudo já ultrapassou a simples rivalidade clubistica e a saudavel competição."

    A saudável competição já foi ultrapassada a partir do momento em que passamos a ter em Portugal um clube cujos adeptos se dão ao luxo de matar, agredir, apedrejar, incendiar, roubar e manipular a verdade desportiva com a absoluta conivência das autoridades lisboetas que são incapazes de impor a lei com o mesmo peso e a mesma medida quando estão em causa os interesses mesquinhos da capital.

    "O teu lema diz tudo, O FCP quer é ganhar, como, não interessa, e o resto é conversa."

    Esta frase, vinda de um adepto do dito clube que criou um verdadeiro clima de guerrilha no decorrer da corrente época e que manipulou completamente a verdade desportiva do campeonato graças aos constantes incidentes que provocou em diversos estádios do país (e ainda assim passou completamente impune graças à protecção de que beneficia junto da CD da Liga), só pode ser uma anedota! Por muito que tentem branquear a gravidade dos seus actos, não conseguirão apagar da memória das pessoas que assistiram a esta pouca-vergonha a imagem de um campeonato completamente falseado pela interferência externa de um indivíduo a quem a própria FPF acusa de atentar contra os mais básicos direitos constitucionais. Só este facto deveria ser suficiente para fazer reflectir qualquer cidadão que se preze sobre o estado do futebol português, mas infelizmente ainda há muita gente que se deixou cegar pelo desespero de vencer um campeonato a todo o custo.

    "Ainda tens muita sorte em poderes ir fazendo barulho."

    Não se trata de sorte, mas sim de um direito democrático conquistado em 25 de Abril de 1974, ainda que você, na sua mentalidade arrogante e patética de quem se julga com o direito divino de decidir quem pode e quem não pode falar, não o compreenda. Lamento informá-lo, caro senhor, mas a PIDE acabou!

    ResponderEliminar
  4. "O que pensamos como desPORTISTAS não é que não deviam ser suspensos, é que deveriam ser suspensos numa medida justa e que fosse proporcional às infracções que cometeram."

    Concordo plenamente! Foi um lapso meu não ter clarificado essa ideia neste texto, mas já o havia afirmado anteriormente noutros textos alusivos a esse tema. Obrigado pela correcção e pela sua participação.

    ResponderEliminar