segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Segunda análise da pré-época - os reforços

Eu arriscar-me-ia a afirmar que o maior reforço do FC Porto para a nova época é... Varela. Sim, eu sei que Varela já fazia parte do plantel na época passada, mas, como se recordam, esteve lesionado durante grande parte da temporada e a sua falta fez-se notar seriamente. O seu regresso à equipa é pois de saudar, pela qualidade que possui e pela importância que assume no sector atacante. No torneio de Paris, protagonizou uma boa exibição e demonstrou que continua a merecer, indiscutivelmente, a titularidade.

Ukra é já nosso conhecido. É um jogador "à Porto", jovem, irreverente, lutador e possuidor de uma boa técnica. Deposito nele fortes expectativas e antevejo um futuro promissor.

Na mesma linha de Ukra está Castro, um jovem em quem o FC Porto parece querer apostar fortemente. Quando se pensava que iria ser novamente emprestado, eis que Villas-Boas o integra no plantel e coloca a jogar no torneio de Paris, tendo rubricado boas exibições. Conhecido pelo seu espírito lutador e capacidade de entrega, conquistou a simpatia dos adeptos ao demonstrar o seu orgulho quando envergou a braçadeira de capitão. Mas só isso não chega...

James Rodriguez é um jogador muito jovem que dizem ser um fenómeno. O pouco que vi dele até agora não me permite retirar ilações, portanto, prefiro aguardar por novos dados antes de tecer qualquer comentário.

Walter esteve no Porto durante vários dias antes de, finalmente, ter assinado contrato. Esse período de espera atrasou a sua integração na equipa, pelo que se admite que os jogos que realizou em Paris não tenham sido representativos do seu real valor. Marcou um bom golo frente ao Bordéus aparecendo de rompante na zona do ponta-de-lança para rematar de primeira. Deixou a imagem de um jogador fisicamente muito forte, lutador e empenhado, que não desiste de nenhuma bola. Diz-se que tem alguma fragilidade mental devido a problemas familiares, mas esperemos que encontre a paz e a estabilidade necessárias para que os mesmos não afectem o seu rendimento.

Sereno cometeu erros suficientes para deixar muitas dúvidas no espírito dos adeptos. Foi responsável pelo segundo golo do Bordéus ao tentar fintar o adversário numa zona proibida e demonstrou muitas dificuldades no jogo aéreo. Não me parece que seja o central que o Porto necessita para suprir uma eventual saída de Bruno Alves.

Souza deixou bons sinais na generalidade dos jogos em que participou, mas também cometeu alguns erros que não abonam muito em seu favor. Veremos do que será capaz.

Propositadamente, deixei João Moutinho para o fim. O ex-capitão do Sporting protagonizou a mais cara e polémica transferência do futebol português ao deixar Alvalade para rumar ao Dragão. Apesar do negócio ter sido do interesse de ambas as partes, não caiu bem aos adeptos leoninos que, em parte influenciados pelas lamentáveis declarações do seu presidente, quiseram transformar o jogador no único culpado de um divórcio que se arrastava à muito tempo.
João Moutinho é um jogador acima da média em quem Pinto da Costa confia e acredita. Obviamente, também os adeptos portistas acreditam que será uma mais-valia para a equipa, capaz de contribuir para a reconquista do campeonato nacional. Valor não lhe falta, veremos se se adapta bem à nova realidade.

Sem comentários:

Enviar um comentário