quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Cobardia e subserviência

Em Portugal, muitas foram as vezes que dirigentes, treinadores e jogadores foram alvo de castigos, multas ou suspensões, motivadas por declarações, por vezes proferidas a quente no final dos jogos, consideradas ofensivas ou mesmo insultuosas para os árbitros ou entidades responsáveis pelo futebol português. Perante isto, já seria de todo incompreensível que a direcção do SL Benfica se tenha dado ao luxo de publicar uma declaração a todos os níveis vergonhosa e condenável, na qual não se limita a pôr em causa a competência de um árbitro (que, curiosamente, tanto os beneficiou num passado recente) mas a levantar todo o tipo de suspeições contra a própria estrutura da arbitragem portuguesa e, não obstante esse facto, consiga sair de tudo isto airosamente sem ser alvo da mais pequena sanção disciplinar. Mas o que dizer quando um dos principais visados das críticas, nada mais, nada menos que o próprio presidente da Comissão de Arbitragem (CA), a quem o Benfica acusa frontalmente de conspirar contra o clube encarnado, vem imediatamente a público dar razão àqueles que tanto o criticaram?
Na época passada, foi preciso esperar até à 10ª jornada para vermos Vítor Pereira fazer um balanço das arbitragens e nem a ocorrência de casos verdadeiramente inusitados e espantosos como, por exemplo, o facto de o Benfica ter beneficiado de 17 (dezassete!) jogos em vantagem numérica sobre os seus adversários ou a obscena suspensão de Hulk por 3 meses, posteriormente convertida em 3 jogos, motivaram qualquer comentário de sua parte. Já esta época, foram precisas apenas 5 jornadas para que o presidente dos árbitros tenha sentido a necessidade de vir a público reconhecer a existência de erros que prejudicaram o Benfica, o que levanta sérias questões:

1) Por que motivo terá Victor Pereira esquecido de que o jogo da Supertaça também faz parte da corrente época, não tendo a vergonhosa arbitragem de João Ferreira, marcada pela complacência com que permitiu aos jogadores encarnados todo o tipo de entradas violentas e agressões sem a devida amostragem do cartão vermelho, merecido qualquer análise?

2) A periodicidade de 5 jornadas agora adoptada será mantida daqui para a frente, ou seja, teremos novos balanços sobre a arbitragem à 10ª, 15ª, 20ª jornadas e por aí adiante, ou este tratou-se de um caso isolado motivado pela pressão exercida pelo Benfica sobre o presidente dos árbitros?

3) Se, futuramente, outros clubes vierem a ter também motivos de reclamação sobre as arbitragens, será que Vítor Pereira demonstrará a mesma coragem para reconhecer-lhes a razão publicamente, ou irá assobiar para o ar, fingindo que nada vê, tal como aconteceu no decorrer da época passada?

4) Se outros clubes, dirigentes ou treinadores, dirigirem críticas aos árbitros e estruturas de arbitragem, pondo em causa a sua isenção e idoneidade com a mesma dureza usada pelo Benfica no seu comunicado, será que Vítor Pereira irá agir de forma igualmente condescendente ou manifestar-se-á, nessa altura, muito ofendido na sua dignidade?

Tal como afirmou André Villas-Boas, a resposta forçada de Vítor Pereira ao comunicado do Benfica abre graves precedentes, mas não só, transmite para o público uma imagem de cobardia e subserviência da CA para com o clube da capital. Aquilo que o presidente dos árbitros pretendia que fosse encarado como uma prova de transparência e verdade desportiva transformou-se assim num motivo acrescido de suspeição e de receio perfeitamente fundamentado, ficando a dúvida se a subserviência demonstrada pela CA não se irá manifestar futuramente de outras formas menos inócuas para a verdade desportiva. Por exemplo, através de outros 17 jogos em vantagem numérica...

4 comentários:

  1. caríssimo,

    só uma observação: o subserviente do clube cujo nome não se deve pronunciar na Comissão de Arbitragem não teceu comentários ao jogo de Aveiro - para a Supertaça - porque tratou-se de uma prova organizada pela Federação do sr Madaíl ;)

    quanto ao resto - e não é pouco - onde posso assinar? ;)

    saudações PENTAcampeãs!

    Tomo I

    ResponderEliminar
  2. Poderá ser federaçao do SR. Madail mas nao deixa de ser uma arbitragem vergonhosa, merecedora de comentário...

    ResponderEliminar
  3. "Quando não gostas, apagas!"

    Os seus argumentos são facilmente desmontáveis e não me causam a mais pequena mossa. Pelo contrário, já tive confrontos verbais com pessoas bem mais astutas e inteligentes do que você e nunca apaguei nenhum comentário aqui publicado por eles.
    No entanto, tal como eu já lhe disse antes, você não está na sua casa e, como tal, deve respeitar-me a mim, como dono do blogue, e aos outros participantes. Infelizmente, você insiste em proceder com a má educação a que, provavelmente, está habituado, recorrendo a insultos gratuitos que nós não temos obrigação de aceitar.
    Quando você for capaz de discutir futebol, ou qualquer outro assunto, sem perder o discernimento e recorrer ao insulto, talvez eu me digne a permitir que os seus comentários permaneçam. Caso contrário, fique desde já avisado de que está a perder o seu tempo.

    "Pelo menos ficaste com a consciência, se é que a tens, do que és ... morcão!"

    A diferença das nossas atitudes demonstra bem qual de nós os dois é o verdadeiro morcão. E mais não digo porque teria de descer ao seu nível.

    ResponderEliminar
  4. O morcão és tu!

    Quanto ao meu nível, tens de subir, porque nem em bicos de pés em cima da tua frustração cá chegas!

    Lisboa será sempre a capital, e o Porto o primeiro dos últimos!

    O Benfica será sempre o maior clube o fcp o mais raivoso e corrupto, com os adeptos a vomitar ódio como tu, grande morcão!

    FRUSTRADO!

    ResponderEliminar