domingo, 26 de setembro de 2010

Nota 20!

No início da corrente época, foram muitas as dúvidas que assolaram as mentes dos adeptos azuis-e-brancos quando o FC Porto decidiu apostar na contratação de André Villas-Boas para ocupar o cargo de treinador. Neste momento, decorridas que estão apenas seis jornadas do campeonato, eu arriscar-me-ia a dizer que não deverá existir nenhum portista que não se encontre já rendido às qualidades demonstradas pelo jovem treinador, quer como profissional, quer como ser humano. Tal facto não retira razão àqueles que, cautelosamente, afirmam ser ainda demasiado cedo para retirar completas ilações, já que a procissão ainda vai no adro e tudo pode acontecer. No entanto, naquela que é a questão fulcral, nem mesmo os mais cépticos deixarão de reconhecer que o arranque da temporada ultrapassou as melhores expectativas e que o novo treinador tem estado acima das exigências.
Desde logo se adivinhou que João Moutinho seria um reforço extremamente importante para o meio-campo, mas as dúvidas persistiam sobre o rendimento dos restantes elementos desse sector onde apenas Fernando parecia ter conquistado a plena confiança dos sócios. Belluschi, por exemplo, apesar de ter merecido a confiança de Jesualdo Ferreira em inúmeros jogos da época passada, demorava a explodir e Rúben Micael, um jogador de valor inquestionável, viu-se prejudicado pelas lesões que sofreu. Estas dúvidas, agravadas pela saída de Raul Meireles e a entrada do ilustre desconhecido Souza, ensombravam as perspectivas para a nova época, mas as primeiras jornadas vieram demonstrar que os receios eram completamente infundados.
O meio-campo do FC Porto joga agora como um relógio suiço. A cada tic-tac há um passe preciso, uma finta criativa, um lance rasgado a abrir espaços nas defesas contrárias para as entradas dos avançados, dos quais se destacam Varela e o inevitável Hulk. Mas mais do que o recorte técnico, a beleza do futebol praticado e o empenho demonstrado em cada lance disputado, há nesta equipa algo que há muito tempo não se via no futebol do Dragão: Alegria! Garra! Confiança! E é aqui, neste aspecto tão importante para a conquista das vitórias, que mais se nota o perfume do jovem Villas-Boas. Está de parabéns, o nosso miúdo!

Sem comentários:

Enviar um comentário