sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Ratos fedorentos

José Diogo Quintela e Ricardo Araújo Pereira são dois conhecidos humoristas do grupo Gato Fedorento a quem o jornal A BOLA, num laivo de estupidez, decidiu dar o privilégio de publicar as suas opiniões. E assim, ao longo de várias semanas, estes "gatos" lá se foram entretendo a desenrolar um chorrilho de insinuações, acusações e até insultos, disfarçados de graçolas, cujo alvo preferencial era o FC Porto e seu presidente (ou não fossem Diogo Quintela e Ricardo Pereira adeptos incondicionais do Sporting e do Benfica, respectivamente), para grande gáudio dos leitores do referido jornal que, como se sabe, são maioritariamente (senão exclusivamente) afectos ao clube da Luz.
Acontece que, no mesmo jornal, escreve também artigos de opinião Miguel Sousa Tavares, reputado escritor e autor de obras como Equador, cujas ligações ao clube azul-e-branco são sobejamente conhecidas. Ora, lá diz o povo que nunca se deve discutir com um idiota, porque este arrasta-nos para o seu nível e vence-nos por experiência, pelo que Sousa Tavares cometeu o erro de se envolver em discussão directa, não com um, mas com os dois idiotas, e aprendeu, da pior maneira, que não se deve menosprezar a sabedoria popular. De facto, aquilo que inicialmente não passou de uma "troca de galhardetes" sem grande significado, foi gradualmente atingindo proporções inaceitáveis e ultrapassando o âmbito futebolístico, chegando mesmo a discutir-se (pasme-se!) questões relacionadas com o programa "Gato Fedorento esmiúça os sufrágios" e a Constituição Americana. A confusão chegou a um nível tal que a própria edição do jornal decidiu intervir, apelando aos intervenientes que se abstraíssem da troca de mensagens directas entre si e se concentrassem unicamente no futebol. No entanto, estes apelos de nada valeram, pelo que a edição se viu mesmo obrigada a cortar uma parte do artigo de opinião escrito por Diogo Quintela que era expressamente dirigida a Sousa Tavares. Tal acto não caiu bem junto dos dois humoristas que abandonaram prontamente o jornal, um por se dizer vítima de censura, o outro por solidariedade para com o amigo. E como a estupidez é contagiante, rapidamente se gerou uma onda de indignação no seio das hostes benfiquistas que assumem este caso como uma traição d'A BOLA ao seu clube, originando-se assim mais uma polémica estéril e gratuita que muito jeito vem dar numa altura em que convém distrair as atenções do povo da paupérrima exibição do SLB e consequente goleada sofrida no Dragão. 
É óbvio que, para aqueles que vivem o futebol com espírito de guerrilha, para aqueles que fazem da provocação e do insulto uma forma de estar no desporto, este ambiente de constante agressão verbal funciona como um escape para a frustração causada pelo insucesso desportivo das suas equipas. Não é de admirar, portanto, que esta gente reaja agora com uma birrinha infantil, comportando-se como uma criança a quem o pai lhe tirou a pistola de água com que ela se divertia a molestar os meninos a quem o Pai Natal ofereceu brinquedos mais bonitos. Mas, para aqueles que gostam verdadeiramente de futebol, aqueles que só se sentem realizados com as vitórias da sua equipa dentro das quatro-linhas, este tipo de confrontos verbais não passam de manifestações irracionais de clubite aguda que não trazem absolutamente nada de bom ao futebol português e que só servem para incendiar os ânimos dos adeptos. 
Quanto aos "gatos", lamenta-se que tenham abandonado o barco como ratos, fingindo que não entendem o que esteve na base da decisão do jornal. Foram eles mesmos que sempre alegaram que todos os visados pelas suas sátiras humorísticas tinham de ter poder de encaixe para aceitar as críticas, mas, afinal, parece que, eles próprios, não possuem suficiente poder de encaixe para aceitar a crítica daqueles que já estavam saturados dos seus abusos.

9 comentários:

  1. Pois! Os dois humoristas é que são os idiotas e o MST é um reputado escritor. Dizer-se dele que é um reputado portista, ainda concordo, mas escritor... O indivíduo em questão tem escrito muitas inverdades e cometido muitas gralhas no jornal "A Bola". Isto para não falarmos das suas, enormes, incongruências.
    Ainda assim, nunca se constou que tivessem sido encomendados artigos ao Diogo Quintela e ao Ricardo Pereira pelos seus respectivos clubes. Já o vosso presidente não se coibiu de encomendar um artigo ao jornalista(???)Tavares Teles para o jornal oficial do fcp - O Jogo.
    Fazendo a analogia, num jornal publicam-se artigos a pedido, noutro censuram-se artigos.
    Se o gesto é considerado como abandonar o barco, não se compreende onde está a vossa coluna vertebral que, pelos vistos, apoia a censura.
    Incongruências...

    ResponderEliminar
  2. "Ainda assim, nunca se constou que tivessem sido encomendados artigos ao Diogo Quintela e ao Ricardo Pereira pelos seus respectivos clubes. Já o vosso presidente não se coibiu de encomendar um artigo ao jornalista(???)Tavares Teles para o jornal oficial do fcp - O Jogo."

    Não se constou?! Então e as reuniões com APV, Leonor Pinhão, Delgado e por aí fora... Ai há anjinhos? Sabes porque pensas que não se consta? Porque só alguns foram alvo de escutas. Alguma dúvida?

    Depois, comparar a reputação e carreira do Miguel Sousa Tavares com esses humoristas que apareceram há meia-dúzia de anos deve ser anedota, não?

    ResponderEliminar
  3. 1) Eu compreendo que, num país de elevado grau de iliteracia como o nosso, em que os jovens preferem que lhes enfiem as coisas pelos ouvidos dentro do que empenharem-se na leitura de um livro, seja cada vez mais difícil explicar às pessoas a diferença entre boa e má literatura. No entanto, pretender equiparar obras com a qualidade do Equador com os sketchs humorísticos do Gato Fedorento só pode ser uma piada de mau gosto ou a demonstração de uma completa falta de cultura.

    2) Afirmar que Miguel Sousa Tavares escreve os seus artigos em função de encomendas do Pinto da Costa pelo simples facto de Tavares Teles o ter feito anteriormente não passa de uma mera suposição ridícula e sem fundamento. Pela sua ordem de ideias (e em nome da tal congruência que você tanto diz defender), então você também terá de reconhecer que os Gato Fedorento são lacaios do SLB, uma vez que o clube da Luz possui jornalistas (Leonor Pinhão) e comentadores televisivos (António-Pedro Vasconcelos) que, não só beneficiam do apoio directo do clube, como participam regularmente em runiões com a Direcção encarnada. Ou será que isso já não lhe interessa?

    3) O corte do artigo de Diogo Quintela nada teve a ver com censura. Teve a ver, isso sim, com a necessidade de impor a ordem numa discussão ridícula, infantil e absurda que os dois humoristas insistiram em manter, mesmo depois de terem sido interpelados pelo jornal para não o fazerem.
    Tal como eu afirmei no meu post, só aqueles que vivem o futebol com espírito de guerrilha, aqueles que fazem da provocação e do insulto uma forma de estar no desporto, é que aceitam e apoiam este ambiente de constante agressão verbal, pois o mesmo funciona como um escape para a frustração causada pelo insucesso desportivo das suas equipas. Para aqueles que gostam verdadeiramente de futebol, aqueles que só se sentem realizados com as vitórias da sua equipa dentro das quatro-linhas, este tipo de confrontos verbais não passam de manifestações irracionais de clubite aguda que não trazem absolutamente nada de bom ao futebol português e que só servem para incendiar os ânimos dos adeptos.
    De resto, foram os próprios "gatos" que sempre alegaram que todos os visados pelas suas sátiras humorísticas tinham de ter poder de encaixe para aceitar as críticas, mas, afinal, parece que, eles próprios, não possuem suficiente poder de encaixe para aceitar a crítica daqueles que já estavam saturados dos seus abusos. Incongruências...

    ResponderEliminar
  4. Quando se escreve: "É óbvio que, para aqueles que vivem o futebol com espírito de guerrilha, para aqueles que fazem da provocação e do insulto uma forma de estar no desporto" e nao se olha para dentro de casa está tudo dito.

    Este blog em si mesmo mais não faz do que atacar o Benfica, 4 em cada 5 posts, seguindo a cartilha criada por Pinto da Costa há duas décadas atrás. Mas quando PC o fazia era mestria no sarcasmo e no fino humor, não era guerrilha.

    Dir-me-ão que no Benfica se faz o mesmo. Pois faz, e manifesto-me aqui 100% contra. Nao tenho a minima simpatia por LFV nem a agenda que tem levado a cabo. É a velha história do ovo e da galinha...o que sei é que num momento socialmente conturbado como este, o futebol é um escape para muita gente de bem. Guerrilha de parte a parte como se tem vindo a assistir só ajuda...à venda de bolas de golfe. Um exemplo de discussão moderada e minimamente util que se poderia ter aqui. Mas compreendo que não é esse o objectivo do blog. Aqui malha-se, e malha-se bem!

    Tenham um pingo de vergonha na cara e não se armem em paladinos da verdade e da justica...posts parciais e autistas como este só ajudam a mostrar quem são.

    ResponderEliminar
  5. (1)"Tal como eu afirmei no meu post, só aqueles que vivem o futebol com espírito de guerrilha, aqueles que fazem da provocação e do insulto uma forma de estar no desporto, é que aceitam e apoiam este ambiente de constante agressão verbal...".
    Estranho que se refira a esse facto, porque essa é, tem sido, precisamente, a postura do vosso idolatrado presidente. E nem sequer vale a pena escamotear a situação. Foi PC que começou essa guerrilha, (porque era o SLB quem ganhava), e são vocês que a apoiam. E são vocês que fazem a apologia da mentira, tentando desmentir o que é evidente e comprovado. Apenas vos interessam resultados e nem sequer se lembram, ou sabem como PC chegou à presidência do vosso clube. E aceitam os resultados falseados de épocas atrás, da mesma forma como aceitam a adulteração da história da fundação do FCP, e a adulteração de outras estórias.
    Agressão verbal é o que fazem continuamente no vosso site. No que respeita a futebol e ao divisionismo. Assuma-o. Por essa razão estremeço ante o puritanismo evidenciado nas suas palavras.

    ResponderEliminar
  6. (2)Na sua resposta omitiu, deliberadamente, que Diogo Quintela é "defensor" do Sporting, porque não tem argumentos que justifiquem a censura. Qual paladino da verdade, tenta fazer crer, aos portistas talvez, que foi apenas necessidade de impor ordem na discussão. Tal como tantas vezes fazem os árbitros, o que o jornal fez foi empurrar MST para a vitória. Foi colocar Quintela fora de jogo.
    O Benfica tem concerteza defensores. Não tem é defensores que, durante muito tempo, desempenharam funções importantes na Liga, o que nos obriga, por exemplo, a pensar o que não teria feito tal personagem em defesa do seu amado clube.

    ResponderEliminar
  7. 3)"Para aqueles que gostam verdadeiramente de futebol, aqueles que só se sentem realizados com as vitórias da sua equipa dentro das quatro-linhas...", não percebo então porque razão no vosso estádio, e noutros pelo país, os cânticos entoados visam, invariavelmente, o SLB. Não percebo igualmente porque se fala tanto do Benfica neste blogue.
    E quanto a literacia... é estranho que alguém tão erudito, com pensamento próprio (?!) se deixe envolver por trapaças deste género e aceite ser defensor de causas pouco dignas.

    ResponderEliminar
  8. «Ora, lá diz o povo que nunca se deve discutir com um idiota, porque este arrasta-nos para o seu nível e vence-nos por experiência»

    é (também) por esta razão que me recuso a comentar as alarvidades que os «gloriosos» anónimos de 15 e 16 de Novembro escreveram neste espaço.

    saudações PENTAcampeãs!

    Tomo I

    ResponderEliminar