terça-feira, 21 de dezembro de 2010

O FC Porto está de luto

Faleceu hoje, vítima de AVC, um dos maiores portistas que eu tive a honra de conhecer. Pôncio Monteiro era sócio nº 1332, foi vice-presidente do clube em 1982 e 1991, e integrava actualmente o Conselho Superior do FC Porto. Representou e defendeu as cores do clube em vários programas de televisão, sempre com firmeza e devoção mesmo em condições adversas como foi o tristemente célebre "Donos da Bola". 
Aqui deixo, neste momento de tristeza e pesar, as minhas sinceras condolências à família enlutada, bem como a toda a família portista. 

domingo, 19 de dezembro de 2010

O túnel dos horrores

Tal como já vem sendo habitual, o Benfica voltou a ser notícia devido a desacatos ocorridos no túnel do Estádio da Luz. Neste caso, ao contrário das situações anteriores, os lamentáveis incidentes não envolvem jogadores, treinadores ou dirigentes de equipas adversárias a quem os encarnados possam imputar responsabilidades, mas apenas pessoas ligadas directamente ao Benfica, nomeadamente elementos da segurança privada, que terão agredido Juan Bernabé, dono da águia Vitória, e Domingos Soares Oliveira, que terá ainda ameaçado o espanhol. Na sequência desta agressão, Juan Bernabé acusa o chefe da segurança, Rui Pereira, de lhe ter criado problemas desde o primeiro momento em que começou a trabalhar no clube, chegando mesmo a afirmar que "é muito desagradável lidar com porrada e pessoas que me proíbem de realizar o meu trabalho", o que espelha bem o clima de terror que se faz sentir dentro das instalações da Luz, não apenas para os visitantes, mas também para os próprios funcionários do clube.
Como todos, com certeza, se recordarão, os seguranças do SLB já foram protagonistas de outros lamentáveis episódios de violência, também eles ocorridos no mesmo túnel. Em Agosto de 2008, um elemento do staff portista foi agredido a pontapé, um gesto que, inexplicavelmente, não justificou a abertura de qualquer processo por parte da Comissão Disciplinar da Liga, na altura presidida por Ricardo Costa, apesar de ter sido gravado pelas câmaras de vídeo-vigilância e de constar no relatório da PSP. Já na época passada, os mesmos seguranças ter-se-ão envolvido numa troca de insultos com os jogadores do FC Porto, da qual resultou uma alegada agressão que motivou a posterior aplicação de suspensões a Hulk e Sapunaru. Também Juan Bernabé já havia sentido na pele a "simpatia" dos stewards do SLB quando, em Outubro de 2010, foi agredido por quatro elementos da segurança encarnada.
A sucessão de incidentes graves envolvendo sempre os mesmos protagonistas são já mais do que suficientes para se perceber que estamos na presença de gente muito perigosa e violenta. Inexplicavelmente, as autoridades de Lisboa persistem numa postura de total alheamento, recusando-se a abrir um processo de investigação que permita apurar quem são os responsáveis pelos actos criminosos a que, ano após ano, se vai assistindo no túnel da Luz. E é neste clima de total impunidade que os dirigentes encarnados vão sacudindo a água do capote, emitindo para o exterior comunicados dúbios que mais não são do que patéticas manobras de desvio da atenção do público. Atente-se, por exemplo, à deplorável postura de João Gabriel que, a propósito da agressão a Juan Bernabé, se limitou a afirmar que "ninguém está acima da instituição", como se tal facto pudesse justificar a violência a que se assistiu. É caso para dizer: acima da instituição talvez ninguém esteja, mas parece óbvio que há gente na instituição que está acima da lei.

P.S. - Irá o Benfica pedir uma nova audiência ao Ministro da Administração Interna para manifestar a sua preocupação com a crescente violência nos estádios?

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

A Bíblia do FC Porto

Há quem diga que Pinto da Costa é o Papa do futebol português. Se o é ou não, eu não sei, mas de uma coisa tenho a certeza: o FC Porto é, sem dúvida, uma religião. E como qualquer religião precisa de uma Bíblia, eis que será lançada hoje a Bíblia do FC Porto, um livro de João Pedro Bandeira com prefácio de Júlio Magalhães, que nos fala das equipas, dos muitos títulos ganhos e dos treinadores que levaram o clube à glória.Quem sabe uma boa proposta para pôr no sapatinho neste Natal. 

O Dragão soma e segue

O FC Porto despachou esta noite o CSKA de Sofia por 3-1, fechando com chave de ouro a fase de grupos da Liga Europa. Os Dragões somaram cinco vitórias e um empate nos seis jogos que disputou nesta fase, terminando em primeiro lugar do grupo com 16 pontos.
Veremos agora o que o sorteio nos reserva para a próxima fase da competição, sabendo que encontraremos pela frente equipas eliminadas da Liga dos Campeões. Nada que possa fazer tremer os azuis-e-brancos, já que a equipa demonstrou que possui valor para encarar, com total confiança, desafios bem mais aliciantes do que os que a Liga Europa lhe proporcionou até ao momento.
Deste jogo, em que os portistas apresentaram uma equipa com muitas opções de 2ª linha, há a realçar a excelente prestação de James Rodrigues, que marcou um belo golo e protagonizou alguns dos melhores momentos da partida. A aposta de André Villas-Boas neste miúdo parece começar a dar frutos e, sabendo que as competições europeias constituem sempre uma boa montra, não tenhamos dúvidas de que, a partir desta noite, o nome de James Rodrigues começará a ser falado em muitos países europeus.

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Hugo Almeida no FC Porto?

Os jornais desportivos têm dado conta do alegado interesse do Besiktas na contratação de Hugo Almeida, mas o jogador já veio comunicar que tais notícias não têm qualquer fundamento. Entretanto, um passarinho já veio dizer ao meu ouvido que o internacional português alugou uma casa na cidade do Porto. Será por gostar do nosso vinho?...

Um cretino é um cretino


Recentemente, quando Jorge Jesus se encontrou debaixo de uma forte contestação motivada pelos maus resultados da sua equipa, André Villas-Boas saiu a terreiro em defesa do seu colega de profissão, afirmando que o treinador do Benfica estava a ser alvo de críticas injustas tendo em conta o trabalho que desenvolveu num passado bem recente. Penso que esta postura digna do treinador portista, que soube colocar de parte a rivalidade desportiva em nome dos interesses da sua classe, devia ter merecido de Jorge Jesus o devido reconhecimento, mas, lamentavelmente, o treinador benfiquista não tardou a vir demonstrar que, tal como alguém já disse anteriormente, não passa de um cretino. De facto, para salvar a pele perante os adeptos do SLB e aliviar a pressão que sobre ele tem vindo a ser exercida, o treinador encarnado não teve qualquer pudor em vir queixar-se de uma alegada dualidade de critérios dos árbitros ao assinalarem os penalties em favor do FC Porto e SL Benfica, refugiando-se no velho discurso bolorento das arbitragens, numa demonstração de total desrespeito pelo excelente trabalho que o jovem treinador portista tem vindo a desenvolver ao comando da equipa azul-e-branca. 
Lá diz o povo que as atitudes ficam com quem as toma e, dessa forma, as pessoas saberão reconhecer a diferença de carácter dos dois treinadores. Mas não deixa de ser lamentável que, enquanto uns procuram dignificar o futebol português com bons exemplos de profissionalismo, outros insistam nas mesmas atitudes medíocres e imbecis de sempre.

sábado, 11 de dezembro de 2010

FC Porto 4 - 0 Juventude de Évora

Num jogo agradável que, como se previa, decorreu de feição ao FC Porto, quero apenas destacar três dados que me pareceram importantes:

 1) O regresso de Álvaro Pereira - O defesa esquerdo encontrava-se lesionado e a sua ausência fez-se notar nos últimos jogos realizados pela equipa portista pois as alternativas disponíveis não se mostraram convincentes. Felizmente, a recuperação do Uruguaio foi muito mais rápida do que se previa e saúda-se o seu regresso à competição, coroado com uma boa exibição, ainda que, aparentemente, não esteja a 100%.

2) Titularidade de James Rodriguez - Muito de disse sobre o potencial deste miúdo, mas a verdade é que o colombiano pouco se tem visto no decorrer da época. As oportunidades não têm sido muitas e o jovem quis aproveitar este jogo para mostrar serviço. Protagonizou uma boa exibição e esteve muito perto de marcar um golo que, por pouco, não aconteceu.

3)  Primeiro golo de Moutinho - Apesar das magníficas exibições de João Moutinho, o médio portista ainda não tinha feito o gosto ao pé desde que começou a envergar a camisola azul-e-branca. A "malapata" foi quebrada esta noite com um belo golo que, esperamos, seja o primeiro de muitos.

Será desta???

O presidente do Benfica publicou hoje uma carta dirigida aos adeptos do clube da Luz na qual afirma que «a única coisa que espera é que os critérios sejam iguais.» Será desta que os jogadores encarnados vão começar a ver o cartão vermelho quando agridem os seus adversários?

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

Melhor defesa da Europa

O FC Porto, não só continua a ser a única equipa invicta da Europa, como é também a que possui a defesa menos batida. Na prática, os Dragões ainda não perderam nenhum dos 23 jogos oficiais realizados esta época e sofreram apenas 5 golos nos 13 jogos do campeonato, um dado ainda mais notável tendo em conta que o golo sofrido em Alvalade foi irregular e, como tal, deveria ter sido invalidado. Ainda assim, os resultados traduzem-se na extraordinária média de 0,3 golos sofridos por jogo. Nada mal! Nada mal, mesmo!

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

Porto de guerra

Ontem, ao final da tarde, saí de casa para ir ao café ver o jogo do FC Porto (na verdade, não tenho SporTV em casa e recuso-me a pagar a exorbitância que me é exigida para a ter. Ainda mais quando se trata de jogos de equipas portuguesas nas competições internacionais que deveriam ser encarados como de interesse nacional e, como tal, transmitidos em canal aberto). Levava o meu sobretudo, cachecol e luvas pois, apesar de serem ainda 18h, a temperatura rondava já uns 5ºC. Estava frio, mas, ainda assim, muito menos frio do que aquele que se fazia sentir em Viena àquela mesma hora.
Não consigo sequer imaginar o sacrifício que os jogadores fazem quando jogam 90 minutos naquelas condições climatéricas, debaixo de um nevão e com os pés mergulhados em água gélida. Muitos dirão, no conforto dos seus lares, que eles não fazem mais do que a sua obrigação tendo em conta os chorudos salários que auferem, mas há limites para aquilo que o ser humano consegue suportar, limites esses que só com muito esforço, vontade e dedicação a uma causa se consegue ultrapassar.
A forma como os jogadores do FC Porto se entregaram à luta naquele terreno impraticável e naquelas difíceis condições, dando a volta a um resultado desfavorável, demonstra, acima de tudo, que esta equipa possui níveis físicos e anímicos muito elevados, que a tornam num osso muito duro de roer para qualquer adversário e em qualquer estádio. Se a isto juntarmos o facto deste jogo nem ser de extrema importância dada a posição privilegiada que o Porto ocupava no grupo de apuramento, maior ênfase terá de ser dado ao trabalho da equipa técnica que, obviamente, será o maior responsável pela motivação dos jogadores e, consequentemente, pelos excelentes resultados que, até ao momento, têm sido conquistados por este grupo de trabalho.
Ontem escreveu-se mais uma página no já longo livro de glória dos Dragões. Esta, obviamente, sem a importância daquela inesquecível vitória sobre o Bayern de Munique, mas ainda assim saborosa para todos os portistas (e, por que não dizer, para todos os portugueses) que não deixaram de sentir uma emoção especial ao reviver momentos de indescritível alegria vividos neste mesmo estádio, que para nós será sempre do Prater independentemente do que lhe queiram chamar. E para que o quadro estivesse ainda mais completo, não faltaram lá os campeões europeus de 1987, heróis de tantas e tantas pessoas da minha geração, reunidos pela mão de um presidente inigualável. Obrigado, Pinto da Costa.

P.S.- Como já se adivinhava, a intelectualmente corrupta imprensa lisboeta mostrou-se incapaz de atribuir a esta vitória do FC Porto a devida atenção e destaque, preferindo persistir na sua habitual campanha de propaganda sobre o Benfica a quem insistem em colocar no topo não obstante a mediocridade das suas exibições que tanta vergonha nos tem feito passar aos olhos da Europa. E, na falta de melhores notícias, lá voltaram eles ao folclore da contratação de paletes de jogadores que, supostamente, interessam ao clube da Luz. Pois é como vos digo: Portugal nunca será um país verdadeiramente livre e democrático, nem terá uma sociedade justa e equilibrada, enquanto não se der um 25 de Abril na comunicação social. Haja a coragem de o fazer, em nome do futuro do país.