terça-feira, 15 de março de 2011

Tiraram um coelho da cartola

Quando foi divulgado no YouTube o segundo conjunto de escutas telefónicas de Pinto da Costa conexas ao processo Apito Dourado, o Procurador Geral da República fez questão de manifestar publicamente a sua preocupação com a publicação de matéria que constituía segredo de justiça, mas foi adiantando que o Ministério Público pouco ou nada poderia fazer para descobrir o culpado de tal crime uma vez que, nem poderia obter a identidade do autor a partir do YouTube em virtude da sua politica de privacidade, nem possuía a tecnologia necessária para proceder a uma investigação independente.
Pareceu-me desde logo evidente que o discurso de Pinto Monteiro não passava de pura demagogia. Na verdade, as escolas de Portugal estão repletas de jovens perfeitamente qualificados na publicação de qualquer tipo de ficheiros na Internet, pelo que não espantaria ninguém que a pessoa (ou pessoas) que se esconde por detrás dos pseudónimos "Tripulha" e "Juiz Marado" não passasse de um jovem imberbe e irresponsável, sem consciência da gravidade dos actos perpetrados, manipulado por alguém que age na sua sombra. Como tal, aquilo que deveria constituir a verdadeira preocupação de Pinto Monteiro seria descobrir quem é que, pertencendo à equipa de investigação do Apito Dourado e tendo acesso às gravações de Pinto da Costa, permitiu que essa matéria viesse parar a mãos indevidas. Para tal não seria necessário possuir tecnologia "XPTO", mas sim a vontade de proceder a uma investigação interna e de fazer as perguntas certas às pessoas certas, algo que Pinto Monteiro não teve interesse em fazer.

Ora, vontade de descobrir o culpado parece não ter faltado a um indivíduo anónimo que publicou recentemente uma investigação por si realizada e que afirma ter conseguido chegar onde Pinto Monteiro dizia ser impossível: ao nome de um suspeito. Esta investigação encontra-se disponível para download aqui (é necessário introduzir a palavra-chave 92Q4 para abrir o ficheiro) e tem sido de tal forma divulgada em vários blogues que chegou mesmo aos ouvidos do próprio suspeito que, entretanto, já reagiu. Vale a pena ler, não apenas o documento original como também o desenvolvimento do caso que começa a assumir contornos de um episódio do CSI.

Segundo o autor desta investigação, no dia 2 de Outubro de 2010, alguém com o pseudónimo "kornfield1" terá publicado no Twitter várias mensagens avisando que daí a poucos minutos seriam divulgadas no YouTube novas escutas telefónicas de Pinto da Costa. Uma dessas mensagens, publicada às 17:25, anunciava mesmo que 30 minutos mais tarde as escutas estariam já disponíveis, o que só por si não teria qualquer significado, não se desse o caso de, efectivamente, as escutas telefónicas terem sido publicadas nesse mesmo dia, tal como o "kornfield1" havia previsto.
Uma pesquisa no Twitter e no Facebook permitiu facilmente ao autor da investigação descobrir a identidade de "kornfield1". Trata-se de Marco Coelho, um jovem que se apresenta como comediante e ilusionista amador e que, ao que me pareceu, realiza espectáculos em bares. Quando confrontado com as suspeitas que sobre ele recaem, Marco Coelho emitiu um comunicado no Twitzer no qual escreve o seguinte:

«Ponto 1 - Quem me ameaçou de forma cobarde e sem nexo será encaminhado para o departamento de investigação da PSP.

Ponto 2 - Nao sou o Tripulha,enquanto Benfiquista(meu único defeito aos olhos destes senhores) adoraria ter sido eu a ser esse personagem mas lamento não sou.

Ponto 3 - O argumento genial desta criatura foi que num twitt terei dito que as escutas iriam estar disponíveis dentro de 30 minutos.
Essa criatura se tivesse BENFICA TV teria ouvido e relido em rodapé na mesma que as escutas estariam disponíveis ate ao fim duma transmissão que estaria em vigor(eu como sou muito perspicaz vi no menu da MEO que iria entao acabar dentro de 30 minutos).»


Parece-me pouco plausível que um indivíduo divulgue as escutas no YouTube tendo o cuidado de esconder a sua identidade e, simultaneamente, publique mensagens a anunciar o crime no Twitter onde a sua identidade era perfeitamente visível. No entanto, não restam dúvidas de que existe uma estranha coincidência entre os dois acontecimentos. Por muito que o presidente do Benfica nos tente convencer de que consegue ler os resultados dos jogos nas estrelas, até uma criança percebe que Marco Coelho só poderia prever a data e a hora da divulgação das escutas se fosse o autor da mesma ou se tivesse recebido essa informação de algum lado.
Repare-se que, no seu comunicado, Marco Coelho afirma que não é o "Tripulha", mas não diz que não é o "Juiz Marado", nem sequer que não os conhece. Pelo contrário, manifesta até uma certa admiração por essas personagens, dando mostras de não ter a completa consciência da gravidade do crime em causa. Recordam-se de eu ter falado anteriormente de «um jovem imberbe e irresponsável, sem consciência da gravidade dos actos perpetrados, manipulado por alguém que age na sua sombra?» Pois é... Basta ver a lista de "amigos" que constam no seu perfil do Facebook para perceber com que tipo de gente se relaciona este indivíduo, desde elementos dos No Name Boys a dirigentes do Benfica como Rui Gomes da Silva, passando por... Leonor Pinhão. Essa mesma, a jornalista envolvida em tudo o que é processo anti-Pinto da Costa.
Como se as suspeitas sobre Marco Coelho não fossem já suficientes, eis que o próprio vem lançar mais uma dúvida sobre o caso ao tentar explicar as suas mensagens "premonitórias" com a alegação de que terá lido em rodapé, no decorrer de um programa da BenficaTV, que as escutas estariam disponíveis até ao final desse programa. Como facilmente se constata na grelha de programação do canal, às 17:25 estava a ser transmitido um jogo de futsal. Ora, se a informação sobre as escutas passou em rodapé durante a transmissão do jogo e a notícia foi avançada no jornal "O Benfica" que se iniciou logo após a partida (por volta das 19h), então Marco Coelho poderá estar a dizer a verdade (chamo a atenção para o facto dos horários que constam na grelha de programação do MEO nunca coincidirem com a realidade, pelo que não admira que ele tenha sido iludido, pensando que o jogo terminaria meia-hora depois). Mas se a primeira referência às escutas tiver sido feita apenas no programa "45 minutos" que foi para o ar à noite (várias horas depois das mensagens), então Marco Coelho está a mentir.
Em todo o caso, é de condenar qualquer ameaça que sobre ele tenha sido concretizada, pois o simples facto de ser suspeito nesta investigação não-oficial nada prova contra ele, nem tão pouco as pessoas têm o direito de fazer justiça pelas suas próprias mãos. Toda a gente é inocente até prova em contrário. Há, isso sim, que denunciar os factos às autoridades competentes e exigir que o Ministério Público investigue, não deixando que o caso caia novamente em saco roto, tal como tem acontecido com tudo o que envolve o Benfica e passa pelas mãos de Pinto Monteiro. Aliás, não tenho dúvidas em apontar o PGR como principal culpado do estado de suspeição generalizado que se instalou em torno deste e de outros casos. Tivesse o Ministério Público demonstrado mais vontade em averiguar o caso como era sua obrigação e os cidadãos comuns não se veriam impelidos a desenvolver investigações privadas, correndo o risco de facilmente se enveredar por uma verdadeira caça às bruxas.

2 comentários:

  1. Muito bem
    Muito oportuna opinião
    Parabens
    ft

    ResponderEliminar
  2. Você afinal tinha razão quando dizia que não era ridículo. De facto, você é completamente PA-TÉ-TI-CO!
    Vem-me agora com esta história rocambolesca sobre um jogo amador (e ainda por cima de futsal...), da qual ninguém ouviu falar nem se vê confirmada em lado nenhum (excepto num blogue de credibilidade duvidosa intitulado "Mentira desportiva", o que só por si já diz tudo...), completamente a despropósito do tema em debate, para quê? Para lançar a confusão? Para desviar as atenções do facto do treinador benfiquista continuar impune depois de ter andado à bofetada dentro do relvado da Luz? Para tentar justificar o empate caseiro do "Campeão dos túneis" com o último classificado?
    Que autoridade moral pensa você que tem para apontar o dedo seja a quem for, depois do Benfica ter ganho o campeonato da época passada à custa de uma série de estratagemas de secretaria que condicionaram o livre desenrolar da competição, viciando completamente a verdade desportiva? Que autoridade moral pensa você que tem para acusar os outros de fomentarem a violência quando apoia um clube que alimenta um grupo de criminosos auto-intitulado "braço armado do Benfica", que se dava ao luxo de esconder armas de guerra dentro das instalações do Estádio da Luz? Que autoridade moral pensa você que tem para levantar suspeições sobre os outros clubes quando a PJ prendeu um grupo de adeptos benfiquistas que, na época passava, tentavam influenciar as arbitragens a favor do SLB enviando ameaças de morte aos árbitros e seus familiares por telemóvel?
    Tenha vergonha na cara e esteja caladinho!

    ResponderEliminar