sexta-feira, 8 de julho de 2011

Começamos bem...

Segundo as notícias trazidas hoje a público por vários órgãos de comunicação social, o árbitro Rui Costa e restantes elementos da equipa de arbitragem da partida realizada entre o Benfica e o Nacional da Madeira na época passada vão ser alvo de uma suspensão aplicada pela Liga, em virtude de não terem feito, nos seus relatórios, qualquer menção à troca de agressões verificada no final do jogo entre Jorge Jesus e o jogador nacionalista Luís Alberto.
A ser verdadeira a acusação, estamos perante mais uma grave tentativa de manipulação da verdade desportiva, pois não restam quaisquer dúvidas quanto à intencionalidade de ocultar factos graves que, como seria do conhecimento dos referidos árbitros, iriam resultar inevitavelmente num processo disciplinar para o treinador encarnado, com os consequentes prejuízos para o Benfica. No entanto, as motivações que estarão por detrás desta postura de favorecimento ao clube da Luz só poderão ser devidamente esclarecidas mediante uma investigação séria por parte das autoridades competentes, já que a Liga se limita a propalar uma falsa imagem de seriedade e transparência baseada na aplicação de castigos cirúrgicos, sem demonstrar interesse ou coragem para ir mais longe no apuramento da verdade quando estão em causa os supremos interesses do clube lisboeta. Além disso, há que ter em consideração que a conduta da própria Liga neste mesmo caso levantou já sérias suspeitas, não apenas pelo "timing" das decisões, mas principalmente pela interpretação falaciosa dos factos. Recorde-se que, apesar da instrutora do processo ter dado como provada a troca de agressões entre Jesus e Luís Alberto após o visionamento das imagens televisivas e a audição das testemunhas, a Comissão Disciplinar adulterou o relatório de forma a justificar a aplicação de suspensões menores, sustentadas numa acusação de tentativa de agressão simples. Levanta-se assim a dúvida se o castigo agora imposto aos árbitros constituirá um verdadeiro acto de justiça desportiva ou uma vergonhosa tentativa de desviar as atenções do público da podridão que grassa no seio da própria CD.

1 comentário:

  1. Este caso ainda vai fazer correr muita tinta. Já veio hoje um sabujo vermelho, de seu nome luis guilherme, distorcer a forma como este castigo foi aplicado e pôs em causa o texto que condenou os árbitros de palas vermelhas.

    Não têm vergonha, que mesmo depois de provado que aquilo que se passou só não viu quem não quis ainda querem que toda gente veja diferente da realidade.

    Já não há paciência para tanta desonestidade intelectual.

    Avivar

    ResponderEliminar