quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

Muita energia, pouca experiência

Em jogo a contar para a Taça da Liga, o FC Porto derrotou o Estoril por 1-0. Apesar da justiça da vitória ser incontestável e da equipa portista ter apresentado muitos jogadores que não são habitualmente titulares, a verdade é que os adeptos esperavam muito mais do que se viu esta noite no Dragão e não tardaram a manifestar o seu desagrado com um coro de assobios que deixou Kléber (e não só) com as orelhas a arder. O avançado brasileiro voltou a defraudar as expectativas, não só persistindo na sua já habitual nulidade em termos de concretização, como ainda vestindo o papel de bobo da festa ao protagonizar alguns falhanços dignos de constar numa daquelas compilações de lances hilariantes que abundam no Youtube. Seria motivo para umas gargalhadas, não estivesse o público já farto de palhaçadas.
Ainda assim, o desnível verificado entre as equipas foi notório e só por um conjunto de vicissitudes do jogo não se traduziu num resultado mais desnivelado. Os lideres da Liga Orangina limitaram-se a praticar um futebol ultra-defensivo e a fechar os caminhos para a sua baliza de todas as formas possíveis e imaginárias, incluindo o uso recorrente da falta e o corte de lances com os braços em plena área que só por mera incompetência do árbitro não se traduziram nos respectivos castigos máximos. Só no último minuto da partida o Estoril logrou chegar com verdadeiro perigo junto da baliza de Bracali, um lance fortuito que lhe podia ter valido o empate mas que diz tudo sobre a postura adoptada pelos visitantes ao longo do jogo. Muito antes disso, já os azuis e brancos tinham visto a bola embater nos ferros da baliza estorilista por duas vezes e um bom número de remates passarem ao lado dos mesmos, com destaque para o de Iturbe  na sequência de uma jogada espectacular ao bom estilo de Hulk.
Um louvor ainda para Varela, que protagonizou alguns lances vistosos fazendo lembrar os seus melhores momentos da época passada, e James Rodrigues, menos eficaz em comparação com o jogo frente ao Rio Ave mas que, ainda assim, se assumiu como motor da equipa e um dos elementos mais enérgicos no seu sector mais avançado. Veremos se a energia destes jovens será suficiente para ultrapassar o Vitória de Guimarães já na próxima jornada, assegurada que está a ausência de Hulk por lesão.

 

Sem comentários:

Enviar um comentário