sábado, 24 de março de 2012

Porcos, porcos, porcos, é uma vergonha!

Na sequência do empate de ontem frente ao Olhanense, o Benfica, pela voz do seu director de comunicação, João Gabriel, veio hoje afirmar que a classificação actual da Liga ZON Sagres "está aldrabada por influência directa dos árbitros". Para fundamentar a sua grave acusação, João Gabriel enumera alguns lances que, alegadamente, terão prejudicado o Benfica, entre eles o que originou a expulsão do médio argentino frente aos algarvios: "O árbitro João Capela expulsou o Aimar, pela primeira vez na carreira do argentino, por uma jogada legal, por muito que alguns teimem em ver o contrário", afirmou João Gabriel.
Logo à partida, qualquer pessoa que acompanhe a Liga portuguesa percebe que o Benfica é o último clube com razões de queixa das arbitragens. Se por um lado é verdade que, nalguns casos, os lisboetas foram efectivamente prejudicados por erros dos árbitros, por outro lado foram precisamente eles a beneficiar, ao longo de várias e consecutivas jornadas, das mais escandalosas arbitragens, que valeram muitos pontos preciosos na corrida ao título. Mas a principal questão, neste caso, é perceber como é possível que alguém, em consciência, possa alegar que esta entrada de Aimar não é merecedora de expulsão, quando é facilmente perceptível a rotação que o jogador encarnado faz à perna, já depois de tocar na bola, com a intenção de atingir o adversário. As imagens são esclarecedoras:




É por causa de energúmenos e de comportamentos deploráveis como estes - que, na prática, são o espelho do clube - que o benfiquismo representa, cada vez mais, um cancro na sociedade portuguesa, uma doença que tem de ser combatida e erradicada o quanto antes, sob pena de nos transformarmos num povo cada vez mais bruto, ignorante e estéril de valores cívicos e morais.

3 comentários:

  1. "Porcos, porcos, porcos, é uma vergonha!"

    "o benfiquismo representa, cada vez mais, um cancro na sociedade portuguesa, uma doença que tem de ser combatida e erradicada o quanto antes, sob pena de nos transformarmos num povo cada vez mais bruto, ignorante e estéril de valores cívicos e morais."

    Há uns tempos ficou ofendidissimo com palavras minhas aqui, que o criticavam de deitar lenha para a fogueira das odios que é cada vez mais o futebol português. Só lhe peco que releia o título do seu post e a frase com que o termina, tentando ter o mínimo de racionalidade e frieza (já nem digo sentido crítico), e me diga se mesmo depois disso mantém o que escreveu.

    ResponderEliminar
  2. É só para isso que aqui vem? Para me criticar? Anda armado em Provedor da Internet? E o conteúdo do artigo, não lhe merece nenhum comentário? E a atitude dessa escória que são os dirigentes do seu clube, também não?
    Eu lembro-me de você me acusar de acicatar o ódio, mas também me lembro de me dizer que o meu blogue estava à moscas. Afinal, em que é que ficamos? Se ninguém aqui vem, por que raio está tão preocupado que aquilo que eu digo possa ser fonte de conflitos? Não acha que as declarações inqualificáveis dos dirigentes do seu clube têm muito mais projecção mediática e impacto na opinião pública do que o meu simples blogue? Não seja hipócrita, vá lá criticá-los a eles e depois falamos.

    ResponderEliminar
  3. Eu nao ando armado em nada. Você tem um espaco aberto e eu comento. Você aceita se quiser, ou nao aceita se nao quiser. Vim aqui pela primeira vez respondendo a um convite seu num outro blog, já nessa altura porque discordávamos nas nossas opiniões. Quer uma opinião sobre o conteúdo do artigo? É obvio que o Aimar foi bem expulso. Mesmo que nao tivesse sido, nao desculpava o empate, mais do que merecido tendo em conta a pobreza do jogo do Benfica, contra uma equipa da Olhanense completamente desfalcada. Como já o disse aqui: os arbitros nao podem servir de pretexto quando se joga tão mal (vale isto para o Benfica como vale para o seu e os outros clubes). Quanto a criticar os dirigentes do meu clube, só aqui neste blog já devo ter criticado várias vezes LFV, Jorge Jesus, o inenarravel Gabriel e a BenficaTV. Só que a isso você nao presta grande atencao, porque esta sempre com uma atitude de extrema adressividade, como se viu agora mesmo. É que ao contrário de si, eu nunca disse ou aji como se o Benfica, os seus dirigentes ou mesmo o benfiquismo conferissem qualquer superioridade moral a um adepto benfiquista em relacao a um portista. Nunca dei a entender que o Porto representa um mal absoluto e o Benfica é sempre injusticado, e em nenhuma instancia desculpei fracassos do meu clube (e infelizmente têm sido muitos) com erros de arbitragem ou jogadas de bastidores (que nos ultimos 25 anos tambem nao têm sido poucas).

    Neste seu ultimo post, e principalmente com a resposta subsequente, você mostrou a sua verdadeira cara: parcial, extremista e faccioso. A ultima frase deste seu post podia figurar na íntegra na cartilha de um Goebbels ou de um Estaline, tal a violencia, a ignorancia e o preconceito nela contidos. Para quem no post anterior tinha acabado de criticar (e bem, como tive oportunidade de escrever) os "ayatollahs" da educacao infantil clamando pelos mais altos valores da liberdade, vir agora escrever coisas como "erradicar o benfiquismo" é de uma hipocrisia e um autismo que só se podem explicar por uma completa cegueira clubística que turva irremediavelmente o sentido critico.

    Isto é futebol. Não é uma cruzada pelos elevados valores morais e sociais como pelos vistos você crê. Bons e maus cidadãos existem em todos os clubes em iguais proporcoes. Associar a preferencia clubistica a ausencia de valores é de uma arrogancia, um pedantismo e um fanatismo que não lembram a ninguém. Eu, enquanto Benfiquista, não lhe reconheco moral absolutamente nenhuma para tecer juizos de valor acerca da minha conduta moral ou riqueza de valores.

    Com este post você desceu ao nivel de um qualquer antitripa, os tais que tanto abomina, mas para os quais descambou gradualmente. Ao reiterar o que tinha escrito anteriormente, e ainda ter aproveitado para disparar mais umas linhas, só demonstrou que acredita no que escreveu. Era só mesmo isso que queria confirmar. E nesse caso farei como faco com os antitripas e outros que tais: ignoro-o. Faco-lhe a vontade e deixo-o com os seus devaneios febris e as suas caixas de comentários vazias.

    ResponderEliminar