terça-feira, 27 de março de 2012

Porquê eu, meu Deus?!!

Eu nunca matei ninguém, não roubei, não sou vaidoso, nem tão pouco sou guloso. Enfim, não cometi nenhum dos sete pecados mortais. Começo, no entanto, a desconfiar que Deus me quis castigar por qualquer motivo quando mandou o Vítor Pereira à Terra para treinar o meu clube. A mim e a todos os adeptos do FC Porto, pois não houve nenhum portista na noite do Domingo passado que, perante mais uma lamentável exibição da equipa, não tenha levantado os braços aos céus e perguntado: "Porquê eu, meu Deus?!!"
Não, a culpa do golo sofrido não foi, obviamente, do treinador. Aliás, a reacção do técnico ao assistir à passividade da defesa do FC Porto perante o cabeceamento de Melgarejo diz tudo quanto ao seu estado de espírito. Tal como ele, qualquer um de nós sentiu vontade de partir alguma coisa naquele momento e eu só não dei dois socos no televisor porque tive o sangue frio de perceber que me iria arrepender mais tarde. Mas, se é certo que Vítor Pereira não está a gostar do que vê, não menos certo será o facto de ele dar mostras de uma inquietante incapacidade para o evitar e, quer queiram quer não, é a ele que cabe esse papel!
Pela quinquagésima vez está época, o FC Porto desperdiçou os primeiros 45 minutos do jogo sem que daí resultasse absolutamente nada de proveitoso. A frequência com que esta situação se vai repetindo é extremamente preocupante. As declarações do treinador no final dos jogos demonstram que o problema está identificado, mas a solução, está mais do que visto, não passa pela simples crítica aos jogadores como Vítor Pereira tanto gosta de fazer. Refira-se, aliás, que a insistência no apontar do dedo à equipa começa a assemelhar-se a um sacudir da água do seu próprio capote e a expor publicamente uma notória incapacidade de assumir responsabilidades. Tudo isto, aliado a um conjunto de decisões duvidosas no decorrer do próprio jogo, vai contribuindo para a degradação da já pálida imagem do técnico aos olhos dos adeptos e ao desgaste da confiança que tanta falta fará nesta fase complicada do campeonato. 

Espero sinceramente que Fernando esteja ainda seriamente ressentido da lesão que o afectou recentemente. Não, não desejo mal ao jogador, antes pelo contrário. Apenas desejo que exista uma explicação minimamente razoável para que o trinco, que tem demonstrado ser uma das principais peças da equipa, tenha começado o jogo sentado no banco. Alguma imprensa afirma que tal decisão terá sido tomada para permitir a utilização de Defour, mas, se assim foi, está visto que foi mais uma asneira das grossas.

Não haverá nenhuma alma caridosa neste mundo que nos faça o obséquio de explicar também a Vítor Pereira que meter o Kléber é pior do que jogar com um jogador a menos? O brasileiro, além de não fazer absolutamente nada em prol da equipa, consegue estorvar mais os seus próprios companheiros do que os defesas contrários. Por vezes questiono-me se o objectivo com que se move não será esconder-se atrás dos adversários, pois bastam os dedos de uma mão para contar as vezes que toca na bola durante o tempo em que está em campo e desses ainda sobram muitos para contabilizar os remates que efectua. Kléber foi, sem dúvida, uma das piores contratações que Pinto da Costa já fez até hoje. O ex-maritimista é pior do que um barrete: é um sobretudo completo da cabeça aos pés, com carapuço e tudo!

Com estas e com outras, acabamos o fim-de-semana a lamentar a perda de mais dois pontos e a descida ao 2º lugar por troca com o Braga. Os Guerreiros do Minho voltam assim a fazer jus ao seu epíteto, demonstrando que não são precisos milhões de euros para se construir uma excelente equipa. É preciso, isso sim, humildade, devoção, trabalho e competência, coisas em que nos habituamos a ver o FC Porto como exemplo, mas que, infelizmente, não encontramos este ano na equipa de Vítor Pereira.

Resta saber agora se os minhotos conseguirão manter-se no lugar cimeiro até final do campeonato ou se irão ceder à pressão. Sinceramente, acredito que, se as coisas correrem normalmente, o Braga terá capacidade para ser campeão - algo que, reconheçamos, será inteiramente justo - mas suspeito que o lobby da capital não estará disposto a permitir que isso aconteça. Tal como aconteceu há dois anos atrás, em que a Comissão Disciplinar, então presidida por Ricardo Costa, decidiu suspender Vandinho por três meses devido a uma simples tentativa de agressão - o que viria a contribuir para a perda do 1º lugar para o Benfica - já deve estar a ser preparada a recepção no túnel da Luz. Querem apostar como as câmaras de vigilância já estão apontadas para o tecto?


1 comentário:

  1. caríssima(o),

    votos de uma Santa e Feliz Páscoa, para ti e para todos quantos te são queridos!
    (extensível a quem visita este blogue de referência da bluegosfera)

    cuidado com as amêndoas e com o coelhinho (da Páscoa?)
    qual coelhinho? o do vídeo em anexo ;)

    saudações desportivas mas sempre pentacampeãs a todas(os) vós! ;)
    Miguel | Tomo II

    ResponderEliminar