sábado, 28 de abril de 2012

E vao sete de avanço

Com a suada mas justa vitória desta noite frente ao Marítimo, o FC Porto elevou para 7 pontos a vantagem sobre o 2º classificado. Amanhã, todos os olhos estarão postos em Vila do Conde, onde o Rio Ave defronta o Benfica. Um deslize dos encarnados e o Porto sagrar-se-á matematicamente campeão nacional. Será que é desta? Logo se verá.
O que é certo é que o FC Porto precisava de conquistar os três pontos esta noite nos Barreiros e não falhou nesse objectivo. Pode ter falhado noutros, mas não nesse. Como já alguém antes disse, as finais são para se ganhar, e não há dúvida de que a equipa encarou este jogo como uma final. Não ficará para a história pelo futebol bonito, nem pelos golos espectaculares, mas antes pela vitória que pode valer um título.
Tal como sempre acontece quando é assinalado um penalty a favor do FC Porto, amanhã os jornais da capital, sedentos de polémica, vão encher as suas páginas com análises à arbitragem. O que ninguém vai explicar é por que raio teve de ser o juiz-de-linha a assinalar o 1º penalty, quando é por demais evidente a mão na bola do defesa maritimista. É caso para perguntar: se o juiz-de-linha não tivesse assinalado nada, Paulo Baptista teria deixado passar em claro um penalty daqueles?

Sem comentários:

Enviar um comentário