quarta-feira, 5 de setembro de 2012

A inveja dos medíocres

Hoje, ao abrir o site de A MARCA como normalmente faço pela manhã, senti-me orgulhoso ao deparar-me com um artigo intitulado "Ningún club vende mejor que el Oporto - 400 millones en 30 años". Nesse artigo, o jornal da capital espanhola faz uma resenha das principais transferências de jogadores protagonizadas pelo FC Porto ao longo das últimas três décadas e enaltece a competência e sagacidade negocial da sua Direcção que permitiu ao clube um encaixe financeiro apenas ao alcance dos colossos mundiais.
Com a transferência de Hulk para o Zenit, os Dragões voltaram a chamar as atenções do mundo futebolístico que, boquiaberto, assistiu a mais um negócio milionário com a chancela de Pinto da Costa. Infelizmente, já se previa que o internacionalmente reconhecido sucesso portista suscitasse, aquém fronteiras, a inveja dos medíocres. Assim, não se fizeram esperar os ataques de gentalha afecta ao clube da Luz que, beneficiando do já habitual compadrio da corrupta imprensa da capital, logo se desdobraram em tentativas de descredibilização do negócio. Resultado: numa altura em que todos nós, portugueses, nos deveríamos sentir orgulhosos por ver as nossas capacidades enaltecidas pelos estrangeiros (e que falta isso nos faz nesta altura, meu Deus...), continuamos a ver-nos prejudicados pela mentalidade tacanha de gente invejosa e rasca que, sem qualquer pudor, coloca os seus interesses mesquinhos acima dos do próprio país
Já sabíamos que Lisboa se comporta como um menino mimado que, habituado a ser alvo de todas as atenções, não descansa enquanto não estraga os brinquedos novos dos outros meninos. Da mesma forma, também o Benfica se recusa a aceitar que o negócio de Witsel (também ele notável, refira-se) seja ensombrado pelo de Hulk - ainda para mais em plena campanha eleitoral, em que se torna imprescindível para as pretensões de Vieira convencer os adeptos encarnados sobre as suas capacidades de gestão - mas os argumentos utilizados nessa cruzada são tão absurdamente ridículos que eu fico na dúvida se hei-de rir ou de chorar. Rir, pelo nível de inteligência demonstrado por tamanhas bestas, a roçar a superfície do solo; chorar, pela percepção que tenho da quantidade de portugueses que, por ingenuidade ou má-fé, se deixam manipular por tão descarada lavagem cerebral.
Até um aluno do liceu possui conhecimentos de matemática e economia suficientes para compreender que os negócios de Hulk e Witsel nunca poderiam ser directamente comparados colocando-se, lado a lado, o valor líquido do encaixe financeiro obtido pelo FC Porto com a venda do brasileiro, com o valor bruto envolvido na transferência do Belga, tal como A BOLA pretendeu fazer na sua edição de ontem. A ideia é de tal forma viciada na sua fundamentação que só por má-fé ou completa ingenuidade se poderá atribuir-lhe qualquer valor, mas, mais do que os inúmeros acéfalos que por toda a blogosfera encarnada se aprestaram a dar-lhe eco, lamenta-se a quantidade de adeptos portistas que se deixaram abalar na sua confiança. Estarão a enfraquecer?
Ao contrário do Benfica, o Porto não tem antecedentes de prestar falsas declarações à CMVM. Ora, se o clube, através do seu comunicado, informou a entidade reguladora de que a verba líquida a receber seria de 40 milhões de euros, eu não consigo encontrar qualquer motivo para desconfiar da veracidade de tal afirmação. Nem mesmo o facto do presidente do Zenit vir afirmar que não será o clube russo a pagar a restante quantia que perfaz os 60 milhões envolvidos na transferência põe em causa a transparência do negócio. Ou será que só agora perceberam que, quando os clubes contratam jogadores por verbas avultadas, grande parte do dinheiro provém, não dos cofres dos clubes, mas de investidores privados??? Será difícil de prever que os tais 20 milhões para pagar a intermediação, o fundo de solidariedade e a dívida ao jogador, virão dos bolsos da Gazprom ou de outro investidor privado???

P.S.- Li hoje também um artigo do Jornal de Notícias que refere que o encaixe líquido do Benfica na transferência de Witsel não ultrapassará os 26 milhões de euros. Não sei se tal será verdade - até porque não atribuo grande credibilidade a este jornal no âmbito desportivo - mas parece-me óbvio (e natural) que, contas feitas, os valores finais sejam dessa ordem (o que não deixa, ainda assim, de constituir um grande negócio). Apesar de A BOLA pretender convencer os mais ingénuos de que os 40 milhões de euros envolvidos na transferência irão na totalidade para os cofres do clube, não me parece plausível que Jorge Mendes, empresário do jogador, prescinda da sua parte do bolo, nem que a FIFA esteja disponível para abrir excepções ao clube da Luz no que ao fundo de solidariedade se refere.

4 comentários:

  1. Vamos supor que de facto o Porto recebe 40M€ líquidos a serem pagos em 3 anos, 36 meses. O Hulk custou 22M€ já com comissões, pelo que o lucro líquido do negócio, sem as remunerações, fica em 18M€. Fácil, não é?

    No caso do Witsel, porque o Zenit obrigou o Benfica a vender batendo a cláusula, os 40M€ são líquidos pagos a pronto, e todos os outros custos ficam a cargo de quem bateu a cláusula e forçou o negócio, o Zenit. Para além disso e porque não deram 48 horas de lei antes de baterem a cláusula, existem ainda 6M€ negociados de objectivos.

    Portanto, o Witsel custou 7,5M€ há um ano pelo que o lucro é de 32,5M€ num ano. De longe, o melhor negócio alguma vez feito em Portugal.

    Tudo o resto é areia para os olhos dos papalvos.



    ResponderEliminar
  2. « e todos os outros custos ficam a cargo de quem bateu a cláusula e forçou o negócio, o Zenit »

    pois...
    o Zenit é a Santa Casa da Misericórdia da Rússia...
    ele há cada um...

    ps:
    eu não suponho nada; quem tiver dúvidas, que leia o comunicado da CMVM. está explícito e redigido em Português.

    ResponderEliminar
  3. Por falar em papalvos, lamento que o Manuel pertença ao grupo dos portugueses que se deixa facilmente iludir pelas patranhas da BOLA. Tal como eu referi, é preciso ser muito ingénuo para acreditar que o intermediário do jogador irá prescindir do seu quinhão e que a própria UEFA irá abrir excepções ao Benfica no que ao pagamento do fundo de solidariedade diz respeito. Mas enfim, cada um acredita no que quer. E se até há quem acredite que o "glorioso" tem 6 milhões de adeptos, qual é a dificuldade em acreditar que o Zenit é a Santa Casa da Misericórdia de S. Petersburgo e o Jorge Mendes é a Madre Teresa de Calcutá?

    ResponderEliminar
  4. a conquista do tricampeonato vai dar muita luta - e não me refiro aos jogos jogados dentro das quatro linhas.

    tudo o que é "adversário" (ao bom estilo de rato de esgoto) vai começar a sair da toca para defender «gloriosos» interesses nacionais.

    é bom que a massa adepta portista esteja unida e fale a uma só voz na defesa intransigente dos interesses do nosso clube d coração (o que não significa que sejamos como os carneirinhos da segunda Circular, sem massa encefálica e voz crítica positiva).
    tempos muito difíceis e exigentes se aproximam!

    (palavras escritas a propósito do "castigo" aplicado ao Jorge JeBus)

    somos Porto!, car@go!
    «este é o nosso destino»: «a vencer desde 1893»!

    saudações desportivas mas sempre pentacampeãs a todas(os) vós! ;)
    Miguel | Tomo II

    ResponderEliminar