sábado, 31 de agosto de 2013

Um grupo complicadinho...

Mesmo não se podendo considerar um "grupo de morte" dado o menor palmarés internacional dos adversários que nos caiu em sorte, a verdade é que só por manifesta ingenuidade se poderá considerar que o sorteio da Liga dos Campeões foi favorável aos dragões.

Nem o facto do FC Porto ter eliminado o Atlético de Madrid nas duas últimas eliminatórias disputadas entre estas duas equipas parece abalar a arrogância espanhola. A imprensa do país vizinho mostra-se muito satisfeita pelo facto dos colchoneros terem evitado colossos como o Bayern e o Chelsea, a quem efectivamente reconhecem superioridade, e não têm quaisquer dúvidas de que "el Oporto" não terá a menor hipótese de levar a melhor sobre o clube secundário da capital espanhola.
Veremos se assim será, mas uma coisa parece certa:  o Atlético está diferente das épocas anteriores, para melhor. Apesar de ainda não terem conseguido colmatar completamente a saída de Falcao, os colchoneros fizeram uma excelente época e, em teoria, apresentam-se como o adversário mais perigoso do grupo.


O Zenit defrontou-se recentemente com o FC Porto e levou a melhor ao arrancar um empate a zero no Dragão e uma vitória por 3-1 em São Petersburgo. Na memória dos portistas ficou a triste cena de Danny a festejar o golo imitando um cão urinando contra a bandeira de canto, mas o pior mesmo foi a eliminação do FC Porto da Liga dos Campeões ainda na fase de grupos. 
O regresso dos russos ao Dragão traz um motivo acrescido de interesse para todos nós: Hulk, antigo ídolo azul-e-branco, defrontará agora o Porto com a camisola adversária. Más notícias para nós, conhecendo, como conhecemos, os dotes extraordinários e o poder explosivo do brasileiro que tantas saudades deixou por estas bandas. 
A  juntar à boa qualidade da equipa russa há ainda o facto dos jogos se realizarem nos últimos meses do ano, altura em que as temperaturas em São Petersburgo atingirão já valores negativos.

O Áustria Viena é um caloiro nestas andanças da Liga dos Campeões, mas nem por isso é nosso desconhecido já que foi eliminado pelo FC Porto em 2002, a contar para a Taça UEFA. Trata-se de um clube de menor dimensão, sem expressão europeia, de quem não se espera grande oposição, mas que poderá, ainda assim, ter uma palavra a dizer, principalmente nos jogos em sua casa.
A deslocação a Viena trará boas recordações a todos os portistas que viveram as emoções da conquista da primeira Taça dos Campeões Europeus, frente ao Bayern de Munique, ainda que o velhinho Estádio do Prater tenha sofrido grandes alterações, chamando-se agora Ernst Happel.
Foi já em Dezembro de 2010 que o FC Porto regressou Viena, desta vez para derrotar o Rapid Vienna num jogo disputado debaixo de um intenso nevão.


Mesmo correndo o risco de sermos acusados de imaturidade por Leonardo Jardim, desafio-vos agora a votar naquilo que esperam que a nossa equipa consiga alcançar nesta fase de grupos. Se possível, com a razão e não tanto com o coração, já que aquilo que todos desejamos é, obviamente, a conquista do troféu.

Resultados da votação on-line

À pergunta "Seria benéfico emprestar Iturbe por mais um ano?", posta à votação aqui no blogue nos últimos cinco dias, 46% dos votantes respondeu que "Sim, a um clube europeu" e 54% respondeu que "Não, precisamos dele". Nenhum dos votantes validou a hipótese de Iturbe regressar ao River Plate.

Obviamente, não podemos ter a pretensão de considerar que uma amostra tão pequena (13 votantes) seja representativa da opinião global dos adeptos portistas, mas não deixam de ser curiosas estas percentagens tão próximas de votos que expressam duas visões perfeitamente antagónicas desta questão. 

sexta-feira, 30 de agosto de 2013

Leonardo Jardim, o maduro

Instado pelos jornalistas a pronunciar-se sobre o derby lisboeta de amanhã, Paulo Fonseca afirmou:

«Disse desde o início que o Sporting estava mais forte. Está pronto para entrar nesta luta, acredito no Sporting.»

Parece-me evidente que o treinador do FC Porto se limitou a fazer uma análise com base nas boas prestações que o Sporting teve neste início de época, designadamente nas duas vitórias obtidas com goleada. Mas, mesmo que por detrás das suas palavras existisse uma segunda intenção, não creio que a forma correcta e respeitosa com que as proferiu justificasse uma resposta tão azeda como aquela que mereceu do seu congénere leonino:

«É uma opinião pouco consistente, estamos com duas jornadas do campeonato e é imaturo estar a avaliar uma equipa com duas jornadas. Alguns têm essa capacidade, eu não tenho.»

O Porto e o Benfica já se assumiam como candidatos ao título ainda antes da liga começar, não porque sejam imaturos ou tenham a capacidade de adivinhar o que vai acontecer, mas simplesmente porque entram na competição com ambição e consciência do seu valor. Já o treinador do Sporting, ao fim de duas jornadas e outras tantas vitórias, parece ainda não saber o que esperar da sua equipa, a ponto de (pasme-se!) achar imaturo considerá-la pronta para lutar pelo título. Enfim, cada qual é como é, mas a mim cairia muito mal escutar tais palavras do treinador da minha equipa.

P.S. - Faz hoje precisamente um ano que previ aqui que o Sporting não passaria do 6º lugar e não falhei. Este ano não me arrisco a fazer tal premonição, precisamente porque o Sporting me parece mais forte e melhor orientado. Mas isto, certamente, é porque sou imaturo...

segunda-feira, 26 de agosto de 2013

Iturbe: mais uma eterna promessa?

Paulo Fonseca afirmou recentemente que Iturbe está a trabalhar bem e que conta com ele para a época desportiva, dando assim por encerrada a questão de um eventual empréstimo. Confirmando esta ideia, o técnico portista fez entrar Iturbe para a ala esquerda, por troca com Licá, aos 77 minutos do jogo de ontem frente ao Marítimo, dando assim ao argentino uma oportunidade de que já não beneficiava desde Setembro de 2012. No entanto, nos cerca de 15 minutos que esteve em campo, o jovem pouco ou nada rendeu, desiludindo, uma vez mais, todos aqueles que ainda acreditam no seu potencial. 
Mesmo considerando a provável saída de Varela, Iturbe continuará a ter concorrência de peso para as posições que poderia ocupar na equipa portista, pelo que, atendendo ao seu baixo índice de aproveitamento, dificilmente o argentino conseguirá garantir o estatuto de 2ª escolha e muito menos o de titular. Como tal, não acredito que a hipótese de empréstimo do esquerdino a um clube de Espanha ou Itália esteja totalmente fora das cogitações de Paulo Fonseca, tanto mais que não parece faltar clubes interessados. Além de Inter, Verona e Espanhol, surgiu hoje mais um nome a juntar ao lote de possíveis destinos para Iturbe: o Génova. 
Sinceramente, acho que seria mesmo benéfico, quer para o clube, quer para o próprio jogador, um ano de experiência na Liga espanhola ou italiana. Caso contrário, o argentino arrisca-se a tornar-se mais uma daquelas jovens promessas que nunca passaram disso mesmo: uma promessa.

Faltou pouco para a humilhação

O FC Porto realizou hoje o primeiro jogo da época frente ao seu público e não defraudou as expectativas dos 41000 adeptos que ali se deslocaram, ansiosos por ver jogar os tri-campeões nacionais. A superioridade portista foi de tal forma evidente ao longo dos 90 minutos que não deixa espaço a qualquer crítica, excepto pelo número escasso de golos marcados. De facto, a exibição azul e branca merecia números (ainda) mais desequilibrados, tantas foram as oportunidades flagrantes criadas junto da baliza do Marítimo. Se tal não aconteceu, deve-se apenas a uma boa exibição do guarda-redes adversário e a algum desacerto que se vai notando em Jackson Martinez, que parece ainda muito distante da sua melhor forma. Questiono-me mesmo se o colombiano não andará ainda a sonhar com outros voos...
Os insulares, de quem muito se esperava depois da vitória conseguida no seu reduto frente ao Benfica na 1ª jornada, foram completamente manietados por uma pressão muito alta da equipa azul e branca, um dado que espelha já o trabalho efectuado por Paulo Fonseca, bem conhecido por implementar este tipo de jogo nas equipas que treinou anteriormente. O sufoco sentido pelo Marítimo foi de tal ordem que se traduziu numa completa ausência de remates à baliza de Helton, com a excepção de um ou dois lances isolados que pouco perigo causaram para as redes portistas. Nem deu para assustar...
Perante a excelente exibição de toda a equipa a que se assistiu, torna-se difícil destacar um jogador de entre os muitos que protagonizaram hoje boas prestações. No entanto, numa altura em que se fala da possível titularidade de Quintero em detrimento de Lucho, seria injusto não dar o devido relevo ao argentino, que fez hoje um jogo irrepreensível. Não que o jovem colombiano não tenha, também ele, confirmado uma vez mais os dotes com que vem conquistando os adeptos desde a sua chegada a Portugal (foi pena aquele portentoso remate não ter entrado...), mas não há dúvidas de que "El Comandante" não quis deixar os seus créditos por mão alheia e demonstrou que ainda tem muito, mas muito, para oferecer ao Porto.
Uma última palavra para Licá: tenho de confessar que, inicialmente, este jogador não me convenceu. Acreditei mesmo que se tratava de mais um "flop" daqueles que fazem a pré-época com o restante plantel e depois desaparecem sem deixar saudade, regressando ao seu ponto de origem ou transitando, por empréstimo, para algum clube secundário. A verdade é que, agora, quanto mais vejo Licá, mais surpreendido fico com a espontaneidade e os rasgos de criatividade com que destroça por completo a defesa contrária, ora abrindo espaços para a entrada dos seus companheiros na área (como aconteceu no lance do primeiro golo), ora aparecendo ele mesmo na cara do guarda-redes adversário (como aconteceu no segundo golo). A juntar a tudo isto, uma entrega total e uma alegria contagiante que deixam transparecer o orgulho com que veste a camisola listada de dragão ao peito. Numa só palavra: brilhante!
 

sábado, 24 de agosto de 2013

Juan Quintero

Juan Quintero, jovem colombiano contratado recentemente ao Pescara, tem merecido rasgados elogios graças às suas excelentes exibições e aos belos golos que marcou, quer na pré-época, quer na primeira jornada frente ao Vitória de Setúbal. Os próprios adeptos portistas demonstram já muito carinho por Quintero e até já há quem diga que Paulo Fonseca deveria conceder a titularidade ao colombiano em detrimento de Lucho Gonzalez ou, em alternativa, atribuir-lhe um lugar na ala em substituição de Varela, uma situação semelhante ao que acontecia por vezes com James Rodriguez. O que é certo é que, a julgar pelas suas recentes declarações, o treinador do FC Porto não descarta esta segunda possibilidade, o que parece mesmo indicar que Quintero está bem próximo de beneficiar de uma oportunidade como titular, quem sabe já amanhã, na recepção ao Marítimo.
Recorde-se que Quintero foi contratado ao Pescara por cerca de 5 milhões de euros, tendo o FC Porto garantido apenas 50% do passe do jogador. Só o tempo dirá se não estaremos a criar expectativas demasiado optimistas, mas, até ao momento, todos os indícios apontam para que estejamos perante mais um grande negócio à Pinto da Costa. É que, não tenhamos dúvidas, ver Quintero jogar é um dos motivos que levará amanhã muita gente ao Dragão.

terça-feira, 20 de agosto de 2013

Estão abertas as apostas!

Tenho lido várias mensagens de pessoas a dar palpites sobre quanto tempo conseguirá aguentar ainda Jorge Jesus como treinador do Benfica antes de ser demitido. Há quem diga que se aguenta até ao Natal, mas há também quem, como eu, acredite que não passará da 3ª jornada, altura em que o Benfica defrontará o Sporting. Por esse motivo, decidi disponibilizar neste blogue um contador de tempo que foi iniciado às 17:45 do passado domingo (a hora a que o Benfica iniciou o seu primeiro jogo desta época) e que nos dirá exactamente quanto tempo decorrerá até que o catedrático da chiclete levará o chuto da Agremiação de Carnide. Estão abertas as apostas!

segunda-feira, 19 de agosto de 2013

Já estão a olhar para cima!

Qualquer vitória do FC Porto será sempre motivo de inveja e de contestação lá para as bandas de "Lisvôa", principalmente quando sucede a uma derrota do "mais maior grande do mundo e arredores". Esta noite, foram muitos os benfiquistas (ou melhor, alguns, já que por aqui, felizmente, não prolifera tal espécie) que eu vi a acompanhar o jogo do FC Porto frente ao Vitória de Setúbal, na esperança de que o tri-campeão começasse a época com uma escorregadela, poupando-lhes assim a azia de verem o seu "glorigozo" sozinho no fundo da tabela classificativa logo na primeira jornada. Azar nítido! Já estão a olhar para cima e a coisa ainda agora começou. Nada a que não estejam habituados.

P.S. - É bom estar de volta ao vosso convívio depois de umas merecidas férias.