domingo, 8 de setembro de 2013

Influência arbitral

Existe um blogue intitulado "Influência arbitral" cujo autor elaborou um extenso estudo estatístico sobre a influência das decisões arbitrais nos jogos realizados pelo FC Porto, SL Benfica, SC Braga e Sporting CP. O estudo baseia-se nos dados recolhidos a partir do site oficial da LPFP referentes aos 150 jogos das últimas quatro épocas. Admitindo que os dados são verdadeiros, o estudo é interessante e vale a pena ler, já que autor procurou analisar quantos pontos foram ganhos ou perdidos por estas quatro equipas após a marcação, a seu favor ou contra, de penalties e expulsões decisivas, ou seja, que tiveram influência no marcador.

Infelizmente, o autor começa por afirmar que não é sua pretensão catalogar as decisões como correctas ou incorrectas (o que, à partida, demonstra a intenção de manter a objectividade do seu trabalho), mas não consegue desligar-se da sua afinidade clubística quando, na hora de tirar conclusões, vicia a interpretação dos factos em benefício do Benfica, passando a ideia de que o clube da Luz é o mais prejudicado de todos. Nada mais falso, como facilmente se constata pela análise dos dados.

Geralmente, entende-se como "influência arbitral" apenas os erros dos árbitros que alteram o desfecho de um jogo, ou seja, que têm intervenção directa no resultado final, falseando a verdade desportiva. Como tal, as decisões favoráveis ou desfavoráveis a que este estudo se refere nunca poderão servir, por si só, para retirar ilações sobre os favorecimentos e prejuízos das equipas. Por exemplo, se uma equipa vencer com um penalty marcado em cima do minuto 90, isso não significa necessariamente que haja um favorecimento, pois, se a decisão tiver sido correcta, a decisão do árbitro será uma contribuição para a verdade desportiva e não o contrário.
Nesta perspectiva, é muito mais importante analisar quantos pontos conquistou cada equipa sem a intervenção arbitral, ou seja, sem que tivessem sido fruto de um penalty ou expulsão (pois esses temos a certeza de que foram limpos), do que propriamente quantos pontos foram ganhos por decisões dos árbitros, já que estes serão sempre sujeitos à subjectividade dos critérios de quem vê os lances.
Como se observa pelo gráfico, a equipa que conseguiu mais pontos nos últimos 150 jogos sem qualquer intervenção dos árbitros foi... o FC Porto! Os azuis-e-brancos conquistaram 343 pontos, contra 334 do Benfica, 268 do Braga e 246 do Sporting.
Este dado é muito importante pois deita por terra a teoria defendida pelos nossos rivais de que o FC Porto só ganha com as ajudas dos árbitros, mas o autor do estudo, inexplicavelmente, procurou ignorar este facto nas conclusões finais. Obviamente, não era um assunto do seu interesse...

Para uma correcta análise comparativa entre as quatro equipas, interessa confrontar os saldos das decisões arbitrais a favor/contra de cada uma delas. Assim sendo, vamos agora ver o gráfico respeitante aos penalties assinalados a favor e contra nos últimos 150 jogos:
Neste item, o FC Porto é a equipa com o saldo mais favorável, contando com 31 penalties, enquanto que o Braga tem o saldo menos favorável com apenas 9.
Repare-se, no entanto, que o Benfica tem mais penalties a seu favor (21) do que o Braga e o Sporting juntos (20). Mais: a diferença do saldo do Benfica para o do Porto é de 10 negativos, mas para o Sporting é de 10 positivos, ou seja, neste capítulo, o Benfica tem tantas razões de queixa em relação aos rivais do Norte como o Sporting tem do seu vizinho da 2ª Circular!

Analisemos agora o que se passa em relação ao saldo de expulsões a favor/contra:
Mantém-se a tendência do item anterior, ou seja, o FC Porto apresenta o melhor saldo, com 22 expulsões a seu favor, enquanto que os leões são a única equipa com saldo negativo (-1).

Repare-se, no entanto, que o Benfica leva também uma vantagem óbvia em relação ao Sporting: 15 favoráveis aos da Luz contra -1 dos de Alvalade. Mais: em relação ao Porto, o Benfica tem menos 7 expulsões a seu favor, mas, em compensação, tem mais 16 do que o Sporting. Resumindo: a diferença de saldo do Sporting em relação ao Benfica é maior do que o dobro da diferença do Benfica em relação ao Porto!

Repare-se ainda no gráfico seguinte que traduz o saldo das decisões arbitrais (penalties + expulsões) a favor/contra:
Pelo que já vimos antes, o FC Porto é, logicamente, a equipa com saldo mais favorável de decisões (53), enquanto que o Sporting é a equipa que goza de menos decisões favoráveis (10).

Ainda a respeito das expulsões, note-se que o Benfica é, destacadamente, a equipa com mais tempo de jogo em superioridade numérica. Tem cerca do dobro do Porto e o TRIPLO do Sporting!

Perante estes dados, como é possível alegar que o Benfica é a equipa mais prejudicada das quatro em análise, se até uma criança com idade escolar percebe que o Sporting é a equipa com menos decisões favoráveis???

Conclusão:

Está provado que o FC Porto foi a equipa que conseguiu mais pontos nos últimos 150 jogos sem qualquer intervenção dos árbitros. Este facto, por si só, deveria deitar por terra qualquer dúvida quanto à justiça dos títulos conquistados pelo Porto nas últimas épocas, mas é óbvio que, para os nossos rivais, os factos nunca são convincentes quando não vão ao encontro dos seus interesses. Vai daí, há que levantar a suspeição, viciando a interpretação dos dados e colocando o Benfica numa posição de vítima, mesmo quando os dados apontam numa direcção bem distinta. 
Mesmo admitindo que o Benfica tem pior saldo de decisões do que o FC Porto, é também notório que estas duas equipas estão muito acima do Braga e do Sporting em todos os itens analisados. Por outras palavras, o Benfica pode queixar-se de ser prejudicado em relação ao FC Porto, mas também ele é claramente beneficiado em relação às restantes equipas. Ora, se o FC Porto não merecesse ser campeão pelo facto de beneficiar do maior número de decisões de arbitragem (como defendem os nossos rivais), então o Benfica também não mereceria, visto beneficiar muito mais do que o Sporting. Assim sendo, se o título fosse atribuído com base nestes critérios, o campeão teria de ser o Sporting, visto ser a equipa mais prejudicada pelos árbitros. Obviamente, esta é uma leitura que não interessa aos adeptos do Benfica (incluindo o autor do estudo) fazer.

1 comentário:

  1. Antes de mais agradecemos a atenção prestada ao nosso blog a partir desta data é com agrado que acrescentaremos também o seu blog como um dos interessantes a seguir. Apesar de ser uma primeira impressão, devo dizer que foi boa, espero no futuro encontrar mais textos de agradável leitura.
    Obrigado pelo convite e pelo interesse demonstrado em conhecer a realidade dos números do nosso campeonato, a interpretação como referes reflete sempre uma visão subjetiva, nunca poderia ser de outra forma, mas haverá pontos em que a grande maioria dos adeptos estarão de acordo independentemente do clube de que são adeptos e de verem a realidade consoante os seus amores.

    Obviamente que todos os adeptos reconhecem que têm uma vantagem competitiva quando beneficiam de mais penaltis e expulsões a favor e competem em desvantagem quando sofrem mais penaltis ou expulsões contra.

    No blog nunca se pretendeu omitir que mesmo que não houvesse nenhum ponto acrescentado diretamente por um último golo de penalti ou após uma expulsão o F.C. Porto conquistaria 343 pontos, o Benfica 334 pontos, o Braga 268 pontos e o Sporting 246 pontos, pois esses dados estão no estudo e de uma forma bem explícita.

    Quando constatas que o F.C. Porto beneficiou de um saldo maior no nº de decisões arbitrais que o Benfica mas também este beneficiou mais do que o Braga e o Sporting, essa situação aconteceu de facto, mas estatisticamente não parece ser incompreensível a diferença do Porto e Benfica para o Braga e Sporting. Somente com os pontos conquistados sem influencia arbitral verifica-se que o Benfica conquistou 66 ou mais pontos que o Braga ou Sporting nesses 150 jogos. Seria impossível inverter essa diferença de 66 pontos que representam no mínimo transformar 22 derrotas em vitorias somente diretamente com os pontos acrescentados com as decisões arbitrais. Assim apesar de serem os 4 candidatos ao titulo o rendimento desportivo médio do F.C. Porto e do Benfica nos últimos 5 anos são os únicos que podem ser comparáveis, e o do Braga pode ser comparável somente com o do Sporting, pois somente em relação a esses rivais seria possível alguma alteração na pontuação das equipas que possa realmente modificar as classificações finais com os pontos acrescentados com influência de uma decisão arbitral.

    Só a titulo de exemplo, bastaria ao Benfica não ter perdido os 22 pontos que perdeu diretamente com influência arbitral, 14 dos quais diretamente por um último golo de penalti e 8 pontos após ter ficado em inferioridade numérica, para em vez de 344 pontos ter acumulado 366 pontos. E se imaginares o F.C. Porto que não perdeu de facto nenhum, repito NENHUM PONTO diretamente por uma decisão arbitral relevante (penalti ou expulsão), a perder já não digo esses 22 pontos mas apenas a ter metade desse prejuízo (-11 pontos) teria acumulado uns insuficientes 364 pontos para o sucesso desportivo nestas últimas 5 épocas. Espero que tenhas compreendido a diferença que seria ter metade do efeito negativo das decisões arbitrais com que o Benfica foi objetivamente penalizado.

    Sabemos que o efeito das decisões arbitrais é maior do que pode ser provado objetivamente, pois por exemplo nos jogos em que está empatado e se sofre uma expulsão, mantendo-se no final esse resultado, conquistando um ponto, não temos como quantificar objetivamente qualquer ponto perdido pela decisão arbitral, mas sabemos que que em principio o seu rendimento desportivo saiu prejudicado por essa desvantagem competitiva desses minutos em inferioridade como do jogo de castigo desse jogador na próxima jornada.

    ResponderEliminar