quarta-feira, 2 de abril de 2014

A nata da sociedade lisboeta

Confesso que ontem, ao ler a notícia da suspensão de Luís Filipe Vieira, pensei tratar-se de uma brincadeira do 1º de Abril. O simples facto do presidente do clube do regime ser suspenso já seria, por si só, difícil de acreditar, mas isto dito assim, de chofre e logo no dia das mentiras, é abusar da credulidade de qualquer um. 
É claro que o Benfica já fez saber através de um comunicado que está muito revoltado com a suspensão e, com a sempre fiel colaboração da corrupta imprensa lisboeta, procura agora fazer-se de vítima, tentando convencer a opinião pública de que o seu dirigente só foi suspenso porque, coitadinho, se queixou dos erros de arbitragem que comprovadamente predudicaram o seu clube. Não, não foi apenas por se queixar que Vieira foi suspenso, como qualquer pessoa com um par de olhos na cara e dois dedos de testa pode comprovar. Vieira foi suspenso porque, dando asas à pulhice que o caracteriza na sua forma de estar na vida e no desporto, ultrapassou os limites do admissível ao afirmar que os árbitros têm encontros em quartos de hotel, insinuando assim que as arbitragens estariam encomendadas por alguém. Enfim, tiques fascistóides de uma escumalha que julga que tem o direito de levantar as suspeições que lhe apetece, esquecendo-se de que acusar sem provas é crime. Isto, obviamente, num estado de direito democrático como (ainda) é Portugal, e não nesse sub-mundo em que essa gentalha vive.

P. S.- O "Movimento Besta!" foi hoje entregar, na sede da Federação Portuguesa de Futebol, uma petição com cerca de 3 mil assinaturas. Alguns elementos ligados à organização apareceram de cara tapada e lançaram para o hall de entrada um petardo e várias notas com a cara de Pinto da Costa desenhada. Perante esta demonstração de civilidade, quem poderá duvidar de que as 3 mil assinaturas constantes nesta petição pertencem à nata da sociedade lisboeta?

Sem comentários:

Enviar um comentário