quarta-feira, 20 de maio de 2015

O "Almofadinhas"

Rui Gomes da Silva é, não só um homem pequeno, como um pequeno homem. Infelizmente para ele, a táctica de colocar uma pilha de almofadas debaixo do rabo para se fazer parecer tão alto como os demais elementos do programa O Dia Seguinte pode efectivamente disfarçar a sua reduzida estatura física, mas não consegue esconder a baixeza moral que manifesta de cada vez que dá uso à língua viperina. Qual espécime reptiliano, o "Almofadinhas" ficou à espera que o clube do regime assegurasse a conquista do título para finalmente vir atacar o treinador do FC Porto, depois deste, há várias semanas, ter afirmado que, se fosse cidadão português, ficaria preocupado pelo seu país ter ministros desta estirpe. Curiosamente (ou não), o teor da resposta do ex-ministro dos Assuntos Parlamentares (que belo tacho...) vem dar inteira razão à preocupação de Lopetegui. De facto, muito mal vai Portugal com gente deste nível à frente dos seus destinos.
O "Almofadinhas" podia não ser  inteligente mas ser esperto, ou então não ser esperto mas ser inteligente. Lamentavelmente, não parece primar nem por uma coisa nem por outra, senão vejamos:

Se fosse esperto, saberia que, em matéria de dimensão, valor e prestígio, pretender equiparar o Celta de Vigo ao Bayern de Munique é como comparar um Seat Marbella 900 a um Mercedes-AMG GT3. Se fosse inteligente, perceberia que perder uma eliminatória por um total de 8-1 (7-0 em Vigo e 1-1 na Luz) não é exactamente igual a perdê-la por 7-4 (3-1 no Dragão e 6-1 em Berlim).

Se fosse esperto, saberia que um clube que não ganha absolutamente nada a nível internacional há mais de meio século cai completamente no ridículo ao tentar desvalorizar os 7 (SETE) títulos conquistados pelo FC Porto nos últimos 30 anos. Se fosse inteligente, perceberia que as competições europeias são presentemente muito, mas muito mais difíceis de conquistar do que nos anos 60, altura em que o clubezeco do regime conquistou os seus dois únicos títulos .

Se fosse esperto, saberia que, se há clube em Portugal que, durante anos e anos a fio, foi entretendo a massa adepta com "inimigos externos" para desviar as atenções dos seus próprios erros, esse foi precisamente o clubezeco do regime. Se fosse inteligente, perceberia que é ele próprio que tenta desvalorizar os outros ao insistir permanentemente na conversa da "fruta", quando ele próprio, pela sua experiência como dirigente encarnado, deverá conhecer melhor do que ninguém as "funcionárias loiras e bonitinhas" do Elefante Branco que, segundo o antigo dirigente da FPF António Boronha, estavam (estão?) encarregues de receber os árbitros que iam a Lisboa apitar os jogos do clubezeco do regime.

Se fosse esperto, saberia que a postura de ódio que manifesta sempre que se dirige ao FC Porto, mais do que causar qualquer dano ao rival, põe a nu toda a sua frustração e complexo de inferioridade. Se fosse inteligente, perceberia que, apesar do FC Porto não ter tantos adeptos como o clubezeco do regime, conta ainda assim com milhões de pessoas que se revêem nas cores azul e branca, cidadãos portugueses (e não só) de plenos direitos que merecem todo o respeito e que, com toda a legitimidade, se sentem enojados e insultados de cada vez que o ex-ministro (e outros políticos da sua laia) cospe o seu veneno.

Sem comentários:

Enviar um comentário