quarta-feira, 1 de junho de 2016

Figo seco

Tenho imenso respeito pelo Luís Figo, quer pela brilhante carreira que teve enquanto jogador, quer pela sua já notável carreira empresarial, quer ainda pelo pai e chefe de família que é, mas não revejo nele a mais pequena autoridade para se pronunciar sobre questões do foro administrativo do FC Porto. Se Pinto da Costa continua ou não a ser um bom presidente, isso cabe, única e exclusivamente, aos sócios do clube decidir, e estes já se pronunciaram nas recentes eleições. Aconselhava-se a Figo maior recato nas declarações públicas, tanto na forma como no conteúdo.

P.S.- A newsletter Dragões Diário dedicou um parágrafo da sua edição de hoje, dia 2 de Junho, às declarações de Figo, chamando-lhe "pesetero", em alusão a vários casos protagonizados pelo antigo jogador, designadamente o episódio da assinatura simultânea por dois clubes italianos e a polémica troca de Barcelona para Madrid. Parece-me legítima a resposta dada pelos dragões, mas dispensava-se, também aqui, o tom excessivamente agressivo. Por vezes, uma simples frase é suficiente para responder a quem não merece que se lhe dê demasiada importância.

Sem comentários:

Enviar um comentário