domingo, 7 de agosto de 2016

Novos equipamentos: 5 estrelas!


Depois do flop que foi o equipamento alternativo cor de cocó, perdão, cor de cacau, da época passada, esperava-se que a New Balance nos oferecesse para este ano produtos superiores, ao nível do melhor que se vê nas equipas de topo. Há que reconhecer que, desta vez, a marca americana esmerou-se e não é por mero acaso que o equipamento principal do FC Porto foi escolhido pela revista FourFourTwo como um dos mais bonitos desta época.

À tradicional camisola azul e branca, a New Balance conferiu um toque de inovação e modernidade com as listas verticais em degrade de azul. A gola e os números a vermelho nas costas e nos calções baseiam-se no equipamento que os dragões usaram aquando da conquista da primeira Taça dos Campeões Europeus e que tão boas recordações traz a todos os portistas que viveram essa época de glória. A lista larga horizontal em torno das meias fecha um conjunto globalmente bem conseguido que, com certeza, muitos portistas quererão juntar à sua colecção. Cinco estrelas!

Ainda que o amarelo não seja propriamente uma novidade nos equipamentos alternativos do FC Porto, o tom vivo da nova camisola destaca-se de todos os demais. Além dos apontamentos em azul forte na forma de listas horizontais, os desenhos geométricos que se distinguem no amarelo formam um conjunto simples mas inovador, moderno e esteticamente atractivo. Excelente!


Infelizmente, nem tudo é positivo, já que o equipamento preto deixa muito a desejar. A Constelação de Draco representada na parte frontal da camisola pode ter muito significado para o clube, mas, a exemplo do que acontece com muitas ideias teoricamente boas, esta não funciona em termos práticos. As estrelas brancas nada dizem a quem não está informado sobre o seu significado e, a uma curta distância, nada mais são do que pequenos pontos praticamente invisíveis e sem qualquer efeito visual. Além disso, a falta de outros elementos estéticos e o tom de cinza do próprio símbolo retira interesse ao equipamento, tornando-o numa monótona mancha negra, sem vida, sem alegria. Desiludiu-me também o material dos emblemas do clube, já que os antigos bordados foram agora substituídos por estampados. Trata-se de um pormenor de somenos importância, é certo, mas que não deixa de mostrar que nem sempre a evolução se faz para melhor.

Sem comentários:

Enviar um comentário