segunda-feira, 30 de janeiro de 2017

Taça do Rendimento Social de Inserção

Lá diz o povo, na sua infinita sabedoria, que pau que nasce torto tarde ou nunca se endireita. Há de facto coisas que parecem destinadas a correr mal, por mais voltas que lhe tentem dar. É o caso da Taça da Liga, ou Taça CTT, que na verdade deveria passar a chamar-se Taça do Rendimento Social de Inserção. Porquê? Porque marcar a final da competição, disputada entre duas equipas minhotas, para o Estádio do Algarve, às 20:45 de um Domingo, é restringir a assistência a gente desempregada que não tenha de ir trabalhar no dia seguinte. Ou isso, ou vão trabalhar de directa, depois de seis horas de condução em estrada, à noite e debaixo de chuva. E depois admiram-se que o estádio esteja às moscas...

Tal como Augusto Inácio previa, o Moreirense causou mesmo uma surpresa que deixou o país de boca aberta, conquistando um troféu que, pelo que se foi assistindo no desenrolar da competição, estava desde logo destinado às prateleiras do museu do clubezeco do regime. Lá terão os voucheristas de preencher o espaço com uma jarra...

Resta agora saber como é que os dirigentes da LPFP, que tiveram estas ideias brilhantes para aumentar o interesse da Taça CTT, vão explicar aos estrangeiros que o Campeão de Inverno português vai em 14º lugar da classificação.

Sem comentários:

Enviar um comentário