terça-feira, 30 de maio de 2017

Corrupção provada!

Poucos dias depois da FPF apresentar uma proposta para alteração dos regulamentos no sentido de estabelecer em 200 euros o limite máximo admitido para os presentes aos árbitros das competições não profissionais, eis que a Liga segue o exemplo e define o mesmo limite em 150 euros para todas as competições por si organizadas. Esta medida foi aprovada em Assembleia Geral da LPFP, com os votos favoráveis de 27 clubes e 15 contra. Como se esperava (e não é difícil perceber os motivos), o Benfica foi um dos clubes que votou contra este novo regulamento. 

Depreende-se assim que a maioria dos clubes da 1ª Liga considera que o Benfica andou, durante vários anos, a cometer um crime de corrupção activa ao oferecer aos árbitros e delegados de jogo kits cujo valor ultrapassava largamente os 150 euros agora estabelecidos como valor máximo admissível. 

Tal como referi anteriormente, talvez a justiça desportiva seja impotente para penalizar este comportamento ilícito do clubezeco dos vouchers, tanto mais que os regulamentos desportivos eram até aqui omissos nesta matéria, mas recorde-se que a investigação da Polícia Judiciária, que ainda há bem pouco tempo procedeu a buscas no Estádio da Luz, ainda está em aberto. Queira o Ministério Público ter a decência de fazer transitar o processo para os tribunais e veremos o que poderá acontecer.

Enquanto o valor de referência foram os 300 euros admitidos pela UEFA, os vassalos do regime andaram preocupadíssimos em contar os cêntimos, garantindo que o valor dos kits do Benfica não ultrapassava o 250 euros, na pior das hipóteses. Agora que o limite legal foi estabelecido em 150 euros, já há quem venha dizer que os mesmos kits não valem mais de 100 euros. Se amanhã o limite legal for reduzido para zero euros, muito provavelmente o valor do kit descerá para valores negativos. Querem apostar? São as contas à moda do Polvo!

Sem comentários:

Enviar um comentário