domingo, 3 de dezembro de 2017

Invasão de campo é uma história mal contada

Quando o Diabo de Gaia invadiu o campo no Estádio da Luz, foi facilmente reconhecido, pois era uma figura assídua, quer na Luz, quer nos campos onde o Benfica jogava. Era conhecido pelo seu fervoroso benfiquismo e pelas vestes vistosas e incomuns que envergava, que lhe valeram a alcunha. Quando agrediu o juiz de linha, fê-lo por achar que este havia prejudicado o seu clube numa ou mais situações. Resumindo, havia antecedentes óbvios que o ligavam ao clube encarnado e uma motivação para agir da forma como agiu.
Já o alegado adepto portista que invadiu o terreno de jogo no Dragão durante o clássico não é conhecido de ninguém. Segundo o jornal Record, este reside e possui uma empresa em Lisboa, não havendo registo da sua presença entre as claques portistas da capital. Ora, não vos parece uma situação estranhamente forçada que um adepto portista venha de Lisboa ao Porto para assistir a um jogo do clube do seu coração e, assim do nada, resolva invadir o campo para agredir um jogador da equipa adversária, sabendo que daí adviriam graves consequências, quer para o clube, quer para a sua vida pessoal? E por que motivo não agrediu o árbitro, que prejudicou gravemente o FC Porto num penalti e consequente expulsão de Luisão, ou o juiz de linha, que invalidou um golo limpo aos portistas, assinalando um fora de jogo verdadeiramente criminoso? Qualquer adepto presente no estádio teria pleno conhecimento destes erros de arbitragem, bastando para tal acompanhar os relatos através da rádio. Então, porquê agredir um jogador? E porquê escolher o Pizzi, que até já tinha sido substituído, entre todos os que se encontravam junto ao banco encarnado? 

Esta história levanta muitas dúvidas que carecem de investigação. Podem achar que estou a ser demasiado desconfiado, mas não se esqueçam de que os emails já demonstraram que estamos a defrontar gente muito desonesta, escumalha da pior espécie, capaz de todo o tipo de subterfúgios para nos prejudicar. E o polvo tem muitos tentáculos.

Sem comentários:

Enviar um comentário